Taxa básica de juros será definida nesta semana; expectativa é que o Copom faça mais um corte 0,5 ponto percentua

A taxa básica de juros – a Selic – será definida na sexta reunião deste ano do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC), na próxima terça e quarta-feira (18).

 

Segundo a última pesquisa do BC ao mercado financeiro, a expectativa é que o Copom faça mais um corte 0,5 ponto percentual na taxa, em momento de economia ainda em recuperação. A previsão do mercado financeiro para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB), soma de todos os bens e serviços produzidos no país, é 0,87%, neste ano.

 

Na última reunião, no final de julho, o Copom iniciou um ciclo de cortes, reduzindo a Selic em 0,5 ponto percentual para 6% ao ano. A expectativa do mercado financeiro é que esse ciclo de cortes se encerre em outubro, com outro corte de 0,5 ponto percentual. Em dezembro, na última reunião do ano, não há expectativa de redução da Selic, que encerrará 2019 em 5% ao ano, na visão das instituições financeiras pesquisadas pelo BC.

 

Na ata da última reunião, o Copom informou que poderia continuar reduzindo a taxa básica de juros nos próximos meses. “O Comitê avalia que a consolidação do cenário benigno para a inflação prospectiva deverá permitir ajuste adicional no grau de estímulo [monetário, ou seja, corte da Selic]”. O colegiado ressaltou que “dados sugerem possibilidade de retomada do processo de recuperação da economia brasileira, que tinha sido interrompido nos últimos trimestres”.

 

A taxa básica de juros é o principal instrumento do banco para alcançar a meta de inflação definida pelo Conselho Monetário Nacional (CMN). Neste ano, a meta é 4,25%, com intervalo de tolerância entre 2,75% e 5,75%. Para o mercado financeiro, a inflação calculada pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) deve ficar abaixo do centro da meta, em 3,54%. Para 2020, a previsão também está abaixo da meta (4%), em 3,82%.

 

Ao reduzir os juros básicos, a tendência é diminuir os custos do crédito e incentivar a produção e o consumo. Para cortar a Selic, o Copom precisa estar seguro de que os preços estão sob controle e não correm risco de ficar acima da meta de inflação.

 

O Banco Central atua diariamente por meio de operações de mercado aberto – comprando e vendendo títulos públicos federais – para manter a taxa de juros próxima ao valor definido na reunião do Copom.

 

A Selic, que serve de referência para os demais juros da economia, é a taxa média cobrada em negociações com títulos emitidos pelo Tesouro Nacional, registradas diariamente no Sistema Especial de Liquidação e de Custódia (Selic).

 

Histórico

 

De outubro de 2012 a abril de 2013, a taxa Selic foi mantida em 7,25% ao ano e passou a ser reajustada gradualmente até alcançar 14,25% em julho de 2015. Nas reuniões seguintes, a taxa foi mantida nesse patamar.

 

Em outubro de 2016, foi iniciado um longo ciclo de cortes, quando a taxa caiu 0,25 ponto percentual para 14% ao ano.

 

O processo durou até março de 2018, quando a Selic chegou a 6,5% ao ano, e depois disso foi mantida pelo Copom nas reuniões seguintes, até julho deste ano, quando foi reduzida para 6% ao ano.

 

O Copom reúne-se a cada 45 dias. No primeiro dia do encontro são feitas apresentações técnicas sobre a evolução e as perspectivas das economias brasileira e mundial e o comportamento do mercado financeiro. No segundo dia, os membros do Copom, formado pela diretoria do BC, analisam as possibilidades e definem a Selic.

 

Fonte: Agência Brasil

Caixa Econômica patrocina feiras habitacionais pelo país; serão oferecidas como melhores condições de crédito

A Caixa participa de feiras habitacionais em mais de 50 cidades até 31 de outubro. Nas primeiras feiras de imóveis ocorrendo nas cidades de Maringá, Juazeiro do Norte, Santa Cruz do Sul e Montes Claros, até este domingo (15). A Caixa disponível apresenta oferta de linha de crédito SBPE, com taxas efetivas a partir de 3,95% aa + IPCA ou a partir de 8,5% aa + TR. Também será oferecida uma cota de 90% para repasse de unidades financeiras pela Caixa.

 

Para o presidente da Caixa, Pedro Guimarães, como feiras regionais são uma boa oportunidade para adquirir um imóvel. “A Caixa é o banco de todos os brasileiros. É o banco da Habitação. Participar de feiras em todo o Brasil, utilizando um ambiente de concretização de negócios no setor da construção civil, contribuindo para o desenvolvimento da economia e facilitando a realização da compra da casa própria ”, enfatizou o presidente.

 

Imóveis Caixa

 

A Caixa, com o apoio dos corretores credenciados, atendendo aos clientes interessados ​​nos imóveis de propriedade da Caixa. Serão disponibilizados imóveis nas categorias de leilão, disputa aberta, disputa fechada e venda on-line, com preços atrativos e condições especiais. Uma lista completa com imóveis para cada região está disponível no site www.caixa.gov.br/ximoveis .

Atendimento

 

Para solicitar o crédito da casa própria, basta levar o documento de identidade, CPF, comprovante de renda e residência. Os interessados ​​também podem obter informações em todas as agências da Caixa, no site www.caixa.gov.br ou pelo Serviço de Atendimento ao Cliente (0800 726 0101), disponível 24 horas por dia, inclusive nas últimas semanas.

 

Fonte: CEF

Código de Defesa do Consumidor: Procon Estadual realiza ação para dar orientações no Shopping Campo Grande

Eventos  comemorativos  aos 29 anos do Código de Defesa do Consumidor – CDC, bem como relacionados à Semana do Consumidor, realizados pela  Superintendência para Orientação e Defesa do Consumidor – Procon/MS, órgão integrante da Secretaria de Estado de Direitos Humanos, Assistência Social e Trabalho – Sedhast se estenderam, também, ao Shopping Campo Grande, para onde  se deslocou equipe tendo permanecido durante o horário comercial.

 

A ação consistiu, basicamente,  na orientação de lojistas e conscientização de consumidores  a respeito dos direitos que lhes é assegurado pelo CDC e as maneiras  disponibilizados para assegurar esses benefícios. Foi demonstrado, em cerca de 30 lojas visitadas, que o bom relacionamento do fornecedor com o cliente assegura maior procura a cada estabelecimento e ao consumidor foi dado conhecimento dos caminhos a serem percorridos cada vez que  se sentir lesado  em compras ou serviços dos quais tiveram necessidade.

 

Ainda durante a ação houve a divulgação da nova ferramenta disponibilizada, o programa Procon Legal, Comércio Legal lançada oficialmente na manhã de hoje em  evento realizado na sede da Câmara de Dirigentes Lojistas – CDL, que propicia ao pequeno e médio comerciante ou prestador de serviços a certificação de bom relacionamento com o consumidor.

 

O aplicativo lançado se encontra disponível no site  oficial www.procon.ms.gov.br e,  todo pequeno ou médio empresário que estiver interessado poderá acessar e, satisfeitas as normas, se candidatar ao certificado emitido pelo Procon Estadual.

Vendas aumentam 12% em quatro dias na Semana do Brasil, segundo balanço divulgado pela Presidência da República

Em quatro dias, as vendas no varejo em todo o país registram crescimento nominal de 12%, de acordo com balanço divulgado hoje (14) pela Secretaria Especial de Comunicação Social (Secom) da Presidência da República. O crescimento foi registrado entre os dias 6 e 9 de setembro, no início da campanha Semana do Brasil. De acordo com a Secom, os resultados superaram as expectativas. A Semana do Brasil segue até amanhã (15).

 

A campanha visa a estimular as compras, com promoções e descontos especiais, gerando resultados positivos para a economia do país. Ao todo, mais de 4,5 mil empresas dos setores varejista, imobiliário, de publicidade e de comunicação participam da iniciativa, como a Empresa Brasil de Comunicação (EBC), empresa pública do governo federal. Esses meios de comunicação veiculam mensagens publicitárias sobre a campanha.

Segundo o levantamento feito pela empresa de serviços financeiros Cielo, para a alta de 12% nas vendas contribuíram os setores de cosméticos, que registraram aumento de 19%; móveis e eletrônicos, com crescimento de 16%; supermercados, com 13%, e vestuário, com 7%. O crescimento foi medido em comparação às médias de dias regulares do primeiro semestre de 2019.

No setor imobiliário, segundo a Secom, o clima entre os empresários é de otimismo. “Desde o início da campanha, foi registrada uma adesão expressiva de incorporadoras, com mais de 50 empresas anunciando “1 ano de condomínio grátis” apenas na cidade de São Paulo. Houve aumento de visitas aos estandes e vários negócios estão sendo realizados”, diz em nota.

A semana, que aproveita as comemorações do 7 de setembro, data em que se celebra a Independência do Brasil, tem como mote “Vamos valorizar o que é nosso” e é inspirada em campanhas de varejo de outros países, como os Estados Unidos, que costumam realizar promoções em feriados nacionais. A proposta pretende gerar um ambiente de confiança para este e os próximos meses de 2019.

Uma parceria do governo com o Instituto para o Desenvolvimento do Varejo (IDV) ajudou a mobilizar, nos últimos meses, diferentes segmentos do varejo, comércio e serviços, para que buscassem as melhores formas de viabilizar as ações promocionais.

 

Fonte: Agência Brasil

Irregularidades no atendimento levam Procon Estadual a autuar a Caixa Econômica na cidade de Três Lagoas

Durante  diligência  realizada em agência da Caixa Econômica Federal em Três Lagoas por equipe de fiscalização da Superintendência para Orientação e  Defesa do Consumidor – Procon/MS, órgão vinculado à Secretaria de Estado de Direitos Humanos, Assistência Social e Trabalho –Sedhast, foram constatadas diversas irregularidades em prejuízo dos clientes do banco em questão, o que motivou a expedição de Auto de Infração.

 

Entre os problemas, foram constatadas ocorrências  de espera excessiva em vários  casos, alguns dos quais tendo pessoa com idade superior a 80 anos, esperado por 48 minutos. Ressalte-se que, neste caso se trata de consumidora  com direito a ser  “prioridade da prioridade”, ou seja, o atendimento deveria ser mais rápido, inclusive, do que as pessoas  com direitos preferenciais normais. Esta cliente (consumidora) comprovou ter 86 anos.

 

Ainda nesse caso de prioridades ou preferenciais houve registro de outra pessoa, também idosa, com direito a atendimento prioritário, tendo de aguardar por uma hora pelo atendimento. Em se tratando de emissão de senhas normais, houve registro de espera de até 1 hora e 34 minutos. Além desses tempos vários outros foram registrados como excesso o que configura transgressão à Lei que fixa em 15 minutos a espera em dias normais, 20 no período de pagamento do funcionalismo público e militares ou, no máximo, 25 em vésperas ou no dia imediatamente posterior a  feriados prolongados.

 

Ainda considerada irregularidade  a inexistência de cópia da Lei Estadual 2085/2000 que dispõe, justamente a respeito do tempo considerado razoável para espera por atendimento, não dispondo a agência, também, de exemplar da Lei que proíbe o uso de telefonia móvel nas dependências do banco ou de  exemplar do Código de Defesa do Consumidor para consulta dos clientes. E, para piorar a situação, a agência emite comprovantes de  atendimento em papel termossensivel, o que também é proibido.

 

Entretanto, não são apenas essas as irregularidades  encontradas. Idoso que estava a procura de retirada do PIS/PASEP passou  atendimento preliminar para retirada de senha e, somente após esperar por uma hora (das 11h50 às 12h52) foi informado que aquele serviço não era de competência da Caixa e sim do Banco do Brasil. Isto caracteriza negligência ou má prestação de serviço.

 

Por considerar oportuno a equipe do Procon Estadual orientou os responsáveis pela agência bancária a respeito da competência do Procon, tanto estadual  como municipal, para averiguar a regularidade de  documentos tais como alvarás, licenças e afins além de  demonstrar a necessidade de regularização de endereço que  constar no Alvará de localização.

Indicador Ipea mostra alta de 2,6% no consumo de bens da indústria na comparação entre os meses de junho e julho

O Indicador Ipea Mensal de Consumo Aparente de Bens Industriais, que mede a demanda interna no setor, registrou alta de 2,6% na comparação entre os meses de julho e junho, na série com ajuste sazonal. Com esse resultado, que sucedeu um recuo de 0,2% no período anterior, o trimestre terminado em julho encerrou com crescimento de 1,8% na margem.

 

O indicador é definido como a produção industrial doméstica, descontadas as exportações e acrescidas as importações.

 

Segundo o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), entre os componentes do consumo aparente, enquanto a produção interna não exportada cresceu 1,1% em julho deste ano comparado ao mês anterior, as importações de bens industriais registraram alta de 8,9% no mesmo período.

 

As grandes categorias econômicas, em geral, apresentaram crescimento em relação ao mês de junho, com destaque para bens de consumo duráveis (3,9%) e não duráveis (2,6%). Porém, na comparação com julho de 2018 a queda foi disseminada entre as categorias, com destaque negativo para bens de capital (-2,9%) e duráveis (-3%).

 

De acordo com o Ipea, o bom desempenho das categorias econômicas em julho, em relação ao mês de junho deste ano, se refletiu nas classes de produção, com aumento da demanda interna por bens da indústria de transformação em 2,4% em relação ao mês de junho. A extrativa mineral também cresceu, pelo 3º período consecutivo, com alta de 13,3%. Do total de 22 segmentos, 16 avançaram, com destaque para equipamentos de transportes (23,6%) e metalurgia (18,3%).

 

Na comparação entre julho e o mesmo mês do ano passado, a demanda interna por bens industriais avançou 1,2%. O trimestre terminado em julho mostrou crescimento de 0,4% em relação ao mesmo período do ano passado. Na variação acumulada em 12 meses, a demanda registrou queda de 1,1%.

 

Fonte: Agência Brasil

Mais segurança: lançado pelo Procon Estadual programa que certifica boa relação entre consumidor e fornecedor

Com a finalidade de dar mais segurança na relação entre fornecedor e consumidor, a Superintendência para Orientação e Defesa do Consumidor (Procon/MS) estruturou o programa Procon Legal, Comércio Legal, cujo lançamento oficial, após passar por período experimental, ocorreu ontem (11.9) em evento realizado na sede da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), em Campo Grande.

 

O referido programa, cujo lançamento se deu como parte da comemoração aos 29 anos de criação do Código de Defesa do Consumidor e dentro da programação da Semana do Consumidor, tem como objetivo certificar pequenas e médias empresas que comprovem a boa prática da relação de consumo e que tenham cumprido requisitos essenciais para receber o aval do Procon Estadual como empresa apta a ser certificada. As exigências são, basicamente, as normas contidas no Código de Defesa do Consumidor.

 

Nas boas-vindas aos participantes do evento o presidente da CDL, Adelaido Vila, fez questão de realçar a “parceria forte existente entre o Procon Estadual e a CDL. São dois órgãos que poderiam ser antagônicos, uma vez que um defende e outro fiscaliza. Entretanto, não há qualquer divergência de ações. O Procon tem se posicionado como um órgão parceiro. Não há dúvida de que, se necessário, autua mas tem se dedicado, também, a orientar”. Afirmou ainda que a parceria tem sido muito importante para orientar quem vende e conscientizar quem compra.

 

Para Marcelo Salomão, superintendente do Procon/MS, “a nova ferramenta disponibilizada tem como objetivo a harmonia entre o fornecedor e o consumidor, de maneira que o comerciante possa, desde que preencha as normas do Código, receber uma certificação que será um atestado da boa prática no atendimento, enquanto o consumidor tem a garantia de que está adquirindo qualidade em suas compras”.

 

Marcelo evidenciou que as ações do Procon Estadual são fruto do esforço de uma equipe unida e do apoio que o órgão recebe do Governo do Estado, citando os secretários presentes no ato, Elisa Clélia Nobre titular da Secretaria de Estado de Direitos Humanos, Assistência Social e Trabalho (Sedhast), a qual o Procon é vinculado, e Carlos Alberto de Assis, secretário Especial de Governo, que nunca se furtaram em apoiar as atividades do órgão estadual de defesa do consumidor.

 

Na opinião da secretária Elisa Nobre o Procon/MS “realiza um trabalho independente, apesar da relação hierárquica por se tratar de uma superintendência da secretaria”. Elisa declarou ter conhecimento de que o Procon “possui uma equipe qualificada, parceira e unida nos objetivos de realizar trabalho que eleve o nome do órgão e, por extensão, do Governo do Estado. Disse que o momento de lançamento da nova ferramenta é para se comemorar e parabenizar o avanço.  “ O Procon é referência e suas ações, devem servir de exemplo para outros órgãos” concluiu.

 

Garantindo que “sempre que houver iniciativas positivas o Governo estará presente”, o secretário Carlos Alberto de Assis elogiou a maneira de agir das equipes do Procon pelo fato de sempre procurar orientar fornecedores e consumidores. “Acredito na filosofia implantada e no entendimento de que antes de punir é necessário educar”. Com relação ao programa, entende que a certificação vai imprimir maior tranquilidade às compras.

 

O programa já se encontra  disponível no site www.procon.ms.gov.br e  todo comerciante que se interessar poderá acessá-lo e se inscrever. Nesse sentido, a primeira empresa a se cadastrar foi a Campo Forte Agropecuária e & Pet Shop, cuja proprietária Loana Lime Santos participou do evento e disse que comerciantes passam a ter oportunidade de demonstrar que seus estabelecimentos estão em conformidade com o bom atendimento. ”Ao visualizar a marca, o consumidor terá certeza de que estará levando produto de acordo com o que pagou, ficando satisfeito por isso”, comentou Loana.

 

Governo federal vai desbloquear R$ 20 bilhões até o fim do ano, diz vice-presidente Hamilton Mourão

O presidente em exercício, Hamilton Mourão, afirmou ontem (11) que o governo deve descontingenciar cerca de R$ 20 bilhões do Orçamento até o final do ano. Ele ocupa a Presidência da República esta semana enquanto o presidente Jair Bolsonaro se recupera de uma cirurgia em São Paulo.

 

“O Ministério da Economia é o dono do dinheiro, então eu acho que, até o final do ano, uns R$ 20 bilhões devem ser liberados”, disse Mourão a jornalistas no Palácio do Planalto.

 

Procurado, o Ministério da Economia informou à Agência Brasil que “está trabalhando para descontingenciar o maior valor possível”. Segundo a pasta, “ainda não está definido o prazo para esse desbloqueio”.

 

O governo anuncia os bloqueios e desbloqueios do Orçamento ao divulgar o Relatório de Avaliação de Receitas e Despesas, a cada dois meses. O próximo relatório será divulgado no dia 20 deste mês e o outro, o último do ano, será anunciado em novembro. Do Orçamento deste ano, o governo bloqueou cerca de R$ 33 bilhões.

 

A meta fiscal do governo para 2019 é um déficit primário de R$ 139 bilhões para o Governo Central – Tesouro Nacional, Previdência Social e Banco Central. O déficit primário é o resultado negativo nas contas do governo sem o pagamento dos juros da dívida pública.

 

Fonte: Agência Brasil

Sistema Fiems apresentará soluções para supermercadistas no Superamas 2019 que tem início nesta terça-feira

Parceiro da Amas (Associação Sul-Mato-Grossense de Supermercados), o Sistema Fiems estará presente na 29ª edição da Superamas 2019, maior encontro varejista de Mato Grosso do Sul, que começa nesta terça-feira (10/09) e prossegue até quinta-feira (12/09), sempre das 14 às 22 horas, no Centro de Convenções e Exposições Albano Franco (MS), em Campo Grande (MS). No evento, o Sesi, Senai e IEL vão apresentar soluções tecnológicas e inovadoras, que podem reduzir custos e melhorar a produtividade dos supermercados.

 

Visitantes do stand do Sistema Fiems poderão conferir de perto óculos de realidade virtual para demonstração de cursos oferecidos pelo Sesi, demonstração de cursos EaD (Educação a Distância) e demonstração do B.I – Business Intelligence -, um software que coleta, organiza, analisa e monitora todos os dados de uma empresa. Além disso, será possível conhecer a balança multifuncional, que por meio de um software integrado, consiga traçar um perfil sobre a sua saúde, informando a pressão arterial, peso, altura e o índice de massa corpórea.

 

O Senai apresentará durante a Superamas as soluções disponíveis dentro do PSGE (Programa Senai de Gestão Energética), levando para dentro da feira um simulador de energia fotovoltaica para que os interessados possam se informar sobre os custos e vantagens do investimento, e o Programa Senai de Logística Reversa. Também com foco nos supermercadistas, a instituição apresentará seu portfólio de serviços e cursos livres, com curta duração, como magarefe, padeiros e de empilhadeira.

 

Já o IEL mostrará aos empresários do segmento de supermercados os cursos os cursos voltados para o desenvolvimento empresarial, com foco no Training Leaders, que tem como objetivo estimular a aplicação prática de comportamentos de liderança, além do PQF (Programa de Qualificação de Fornecedores).

 

Sobre a Superamas

 

Promovida pela Amas (Associação Sul-Mato-Grossense de Supermercados) e pelo Sidsuper (Sindicato do Comércio Varejista de Gêneros Alimentícios de Campo Grande), a 29ª edição da Superamas deverá receber 4 mil visitantes durante os três dias de evento. O encontro é dirigido a empresários, executivos e compradores de micros, pequenas, médias e grandes empresas dos setores de supermercados, hipermercados, mercearias, padarias, conveniências, indústrias, atacadistas e distribuidores.

 

Na Superamas, serão realizadas palestras, seminários, oficinas, painéis e o evento feminino, sempre com destacados especialistas em tendências do mercado englobando o âmbito técnico e operacional em evidente troca de know-how. Além disso, são oferecidas visitas técnicas orientadas em super e hipermercados, Cash & Carry e aos fornecedores (indústrias, distribuidores e atacadistas) do Estado, que propiciam aos participantes contato com novos modelos de gestão, produtos e serviços in loco e a integração entre os mesmos.

 

Em 2018, a feira de negócios teve uma expansão de 30% em relação aos anos anteriores, além de stands criativos construídos em 3.000 m², área 20% maior que nas últimas edições, e participaram do evento 49 empresas, sendo 21% em primeira participação e mais de 700 marcas de produtos expostos para mais de 3.500 visitantes, recorde de todas as edições.