Projetos aprovados pelo Conselho de Desenvolvimento Econômico podem gerar 60 novos empregos na Capital

O Conselho de Desenvolvimento Econômico de Campo Grande (Codecon) realizou na terça-feira (3), na Secretaria de Desenvolvimento Econômico e de Ciência e Tecnologia (Sedesc) a reunião ordinária de número 163. Foram apreciados três novos projetos, sendo todos aprovados ao final dos relatos e debates.

 

Os projetos aprovados na reunião de hoje representam investimentos na ordem de R$ 15,3 milhões, prevendo também a criação de 60 novos empregos diretos em Campo Grande.

 

As empresas beneficiadas na reunião de hoje, que em compromisso farão os investimentos previstos e criarão as vagas de trabalho relatadas nos projetos são:

  • União Indústria de Suplementação Animal Ltda (fabricação de suplementos minerais, sais minerais, rações e concentrados para animais, entre outros). A empresa recebeu doação de área com até 30 mil m² no Pólo Empresarial Oeste e benefícios fiscais. A empresa prevê investimentos na ordem de R$ 12 milhões e criação de 30 novos empregos diretos.

  • Serrana Colchões Ltda. (comércio varejista de móveis, artigos de colchoaria, eletrodomésticos, entre outros). A empresa recebeu doação de área com até 10 mil m² no Pólo Empresarial Oeste e benefícios fiscais. A previsão de investimentos é de R$ 1, 728 milhão e criação de 15 novos empregos diretos.

  • Souto e Lima – Mangueiras e Peças Automotivas Ltda (comércio varejista e atacadista, importação e exportação de mangueiras automotivas industriais). A empresa recebeu doação de área no Pólo Empresarial Oeste com até 5 mil m² e incentivos ficais. Prevê investir R$ 1,6 milhão e criar 15 novos empregos diretos.

 

O Codecon realizou 6 reuniões em 2019, aprovando 18 projetos com previsão de investimentos na casa de R$ 130 milhões e criação de 447 novos empregos.

 

A Sedesc continua realizando trabalho de fiscalização, acompanhamento, avaliação e tomada de decisão em relação ao cumprimento dos termos de compromissos assinados pelas empresas já beneficiadas e na reunião desta terça-feira foram também analisados processos oriundos dessa fiscalização com termos de compromisso assinados.

 

Após análise, dois processos foram revogados, sendo realizado encaminhamento à Procuradoria-Geral do Município para tomada de providência.

 

Banco Central: Fluxo cambial em agosto fecha com saldo negativo de US$ 4,31 bilhões;no mês de julho, foi positivo

O Brasil fechou o mês de agosto com fluxo cambial (volume de divisas em dólares que entram ou saem do país) com saldo negativo de US$ 4,317 bilhões, informou ontem (4) o Banco Central. Em julho o saldo foi positivo em US$ 2,912 bilhões.

 

A saída liquida registrada pelo canal financeiro, que envolve investimentos estrangeiros diretos, remessas de lucros e pagamentos de juros, entre outras operações, foi de US$ 8,545 bilhões, resultado de entradas no valor de US$ 39,754 bilhões e de retiradas totais de US$ 48,299 bilhões.

 

Já o comércio exterior registrou saldo positivo de US$ 4,229 bilhões em agostos. O resultado se deve ao fato de que as exportações somaram US$ 19,204 bilhões, contra US$ 14,975 bilhões de importações.

 

Oito primeiros meses de 2019

 

No ano de 2019, o fluxo cambial, até o mês de agosto, está negativo em US$ 6,526 bilhões. O canal financeiro também registrou saldo negativo no período. A saída líquida de dólares foi US$ 20,277 bilhões, resultante de entradas no valor de US$ 367,600 bilhões e de saídas no total de US$ 387,877 bilhões.

 

Já o saldo do comércio exterior, no período, está positivo em US$ 13,752 bilhões, resultado da diferença entre as importações, que somaram US$ 113,059 bilhões, e as exportações de US$ 126,811 bilhões.

 

Na semana passada, o fluxo ficou negativo em US$ 921 milhões, informou o Banco Central. No canal financeiro houve saída líquida de US$ 2,115 bilhões. No comércio exterior, o saldo ficou positivo em US$ 1,194 bilhão no período.

 

Calculado com base nos saldos do fluxo financeiro, como investimentos em títulos, remessas de lucros e dividendos ao exterior e investimentos estrangeiros diretos, entre outras operações, e do fluxo comercial, que envolve operações de câmbio relacionadas a exportações e importações, o fluxo cambial é divulgado semanalmente e mensalmente pelo BC e indica o volume de divisas externas que entram ou saem do Brasil.

 

Fonte: Agência Brasil