Com mercado aquecido, Mato Grosso do Sul aumentou em 5 vezes a exportação de açúcar

O volume de açúcar exportado por Mato Grosso do Sul cresceu cinco vezes em 2020, chegando a 1.133 milhão de toneladas e com faturamento de US$ 303 milhões de dólares. Os dados são da Nota Técnica do Complexo Cana elaborada pela Semagro (Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar) e mostram a adaptação do setor ao mercado no ano passado.

 

Se em 2019 o setor representava apenas 1,23% das exportações do Estado, em 2020 o percentual saltou para 5,22%. Na variação de volume enviado para o mercado externo o crescimento é de 371,7% em um ano. O maior aumento entre os principais produtos da balança comercial de Mato Grosso do Sul.

 

O setor sucroenergético é uma parte forte da economia estadual já que representa 8% do PIB de Mato Grosso do Sul, com receita bruta estimada em R$ 11 bilhões em 2019. É responsável por grande movimentação econômica com 22 mil trabalhadores, sendo  10 mil apenas na produção de álcool, conforme os dados disponíveis na nota técnica da Semagro.

 

O secretário Jaime Verruck, titular da Semagro, explica que em 2020 o setor sucroenergético agiu rápido em aderir aos protocolos de biossegurança e em adaptar a produção para atender as demandas do mercado externo. “A produção de açúcar ganhou espaço nas usinas de açúcar e álcool com as condições mais favoráveis para exportação e o resultado é o crescimento recorde do setor”.

 

Presidente da Biosul, Roberto Hollanda destaca que tradicionalmente o mix de produção das unidades que operam em MS é de 70/30 para etanol e açúcar, respectivamente. Porém, o percentual varia conforme o mercado e nas duas últimas safras estava com a produção de etanol em 90%, o que mudou em 2020.

 

“Com a chegada da pandemia as unidades se readaptaram e com a redução no consumo de combustível, redirecionaram a matéria-prima para a produção de açúcar. Também tivemos a valorização do dólar, com alta de 30% com relação a 2019, e as cotações do adoçante que também se comportaram em alta, tornando o mercado internacional novamente atraente para o açúcar e resultando em saldo positivo nas exportações. A expectativa 2021/2022 é que o cenário permaneça atraente para o mercado de açúcar”, destaca Hollanda.

 

A Argélia, no norte da África, é o país que mais comprou açúcar do Mato Grosso do Sul em 2020, passando de 48,2 mil toneladas em 2019 para o total de 241 mil toneladas adquiridas no ano passado. A China é o segundo maior comprador e também ampliou o mercado em 2020, passando de 7,9 mil toneladas para 132 mil toneladas.

 

Confira a Nota Técnica Cana 2020

 

Prefeitura de Campo Grande lançará plataforma de cursos profissionalizantes para jovens

A Prefeitura de Campo Grande vai lançar neste ano uma nova plataforma de qualificação dos jovens: o @JUV.  A nova plataforma oferecerá cursos à distância, garantindo flexibilidade de horário aos jovens.

 

Os cursos serão divididos em cinco módulos, totalizando 30 horas de aulas on-line nas seguintes áreas: Vendas, Empreendedorismo, Gestão Financeira, Mídias Sociais, Auxiliar Administrativo, Libras e Informática Básica.

 

A nova plataforma terá capacidade para atender até 2.500 jovens simultaneamente. Eles poderão fazer o curso por meio de um celular, tablet ou computador e receberão certificado de conclusão.

 

A plataforma @Juv estará disponível não só em residências com internet e smarthphones, mas também em centros comunitários de bairros de Campo Grande, para melhor atender jovens que tenham dificuldade de acesso à internet.

 

Através de uma parceria com a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia (SEDESC), será possível que três incubadoras e um telecentro tenham acesso ao software: a Incubadora Municipal Norman Edward Hanson – Jardim São Conrado, Incubadora Municipal Zé Pereira – Jardim Zé Pereira, Incubadora Tecnológica Giordani Neto – Estrela Dalva e no Telecentro Cezar Domingo – Coophatrabalho.

 

A Prefeitura de Campo Grande, por meio da Subsecretaria de Políticas para Juventude (SUBJUV), conseguiu, mesmo com as adversidades da pandemia de Covid-19, ministrar oficinas e aulas no meio digital, auxiliar na contratação e proporcionar aulas de Dança Urbana, Muay Thai e Jiu-Jiutsu a jovens de bairros periféricos.

 

A SUBJUV, em parceria com a FUNSAT, está capacitando e encaminhando jovens ao mercado de trabalho. Com o projeto, pelo menos 30% dos jovens são encaminhados ao mercado de trabalho após a capacitação.

 

Em decorrência da pandemia de Covid-19, a SUBJUV adaptou cursos e oficinas para o meio digital. Com lives no Instagram, Facebook, Youtube e Google Meet foram ministrados mais de 50 aulas. As oficinas oferecidas foram de auto-maquiagem, Jiu-jitsu, Muay Thai, cursos de vendas, empreendedorismo, aulas preparatórias para o Enem e entre outros.

 

Uma parceria entre a SUBJUV e o Projeto Coruja, localizado na região do Los Angeles, possibilitou aos jovens o acesso a aulas de Dança Urbana, Jiu-jitsu e Muay Thai. As atividades se iniciaram em novembro, respeitando as normas de biossegurança de prevenção à Covid-19. Hoje, as aulas também são oferecidas no Coophasul e Noroeste. Em 2021, o projeto levará oficinas para mais bairros, possibilitando que mais jovens sejam contemplados.