Recursos do Fundersul somam R$ 102 milhões em obras de infraestrutura

O Fundo de Desenvolvimento do Sistema Rodoviário de Mato Grosso do Sul (Fundersul) aplicou no primeiro trimestre de 2021 (janeiro a março) R$ 102,2 milhões em obras de infraestrutura e serviços rodoviários em todo o Estado. No mesmo período, o repasse aos municípios totalizou R$ 55,3 milhões que, somado aos investimentos em obras, chega a  R$ 157,5 milhões.

 

Do total de recursos aplicados, a maior parte (62%) foi destinada às rodovias, em serviços de projetos, implantação, pavimentação, restauração, conservação e manutenção, além da construção, reforma e manutenção de pontes. O percentual destinado à pavimentação, restauração e drenagem em obras urbanas foi de 38%.

 

O balanço foi apresentado para membros e representantes do Conselho de Administração do Fundersul. Conforme os dados, o Governo do Estado tem priorizado os investimentos na manutenção da infraestrutura rodoviária, garantindo trafegabilidade em qualquer época do ano e, principalmente, o escoamento da produção de matéria prima e industrializados – de acordo com o principal objetivo do fundo.

 

“O Fundersul é nossa principal fonte para investimento em infraestrutura e temos destinado esses recursos para garantir boas condições de trafegabilidade em nossas estradas a fim de agilizar o escoamento da produção”, explica o secretário de Infraestrutura, Eduardo Riedel.

 

Dentre as diversas obras em execução com recursos do Fundersul neste primeiro trimestre destacam-se a implantação e pavimentação da MS-442 (Aquidauana), MS-472 (Bela Vista), MS-379 (entre Laguna Carapã e Aral Moreira), MS-473 (Nova Andradina) e anel viário de Campo Grande (Capão Seco).

 

Sobre o Fundersul

 

Criado pela Lei 1.963, de 11 de junho de 1999, o Fundo de Desenvolvimento do Sistema Rodoviário de Mato Grosso do Sul (Fundersul) tem como objetivo melhorar a infraestrutura rodoviária do Estado e municípios.

Vendasgov: site de venda de imóveis públicos entra em funcionamento

A partir deste mês, o cidadão poderá comprar imóveis públicos pela internet. Entrará em funcionamento a plataforma VendasGov, que expandirá o atual Portal de Venda de Imóveis da União e permitirá a unificação das ofertas da União, dos estados e dos municípios.

 

Desenvolvido pelo Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro) em parceria com a Secretaria de Coordenação e Governança do Patrimônio da União do Ministério da Economia, o VendasGov passará a oferecer imóveis da Administração Pública Indireta (como fundações, autarquias e empresas estatais). O Serpro oferecerá a plataforma aos governos locais e aos demais Poderes (como Legislativo, Judiciário e Ministério Público).

 

Segundo o Serpro, o VendasGov aumentará a concorrência nos lances, ao concentrar os bens de todos os entes num único ambiente e aumentar a visibilidade. Com o novo sistema, o cidadão não precisará deslocar-se a nenhuma outra cidade para participar das licitações.

 

Todas as fases da concorrência pública ocorrerão de forma digital. Pelo site, será possível conferir fotos do imóvel, verificar os editais, enviar as propostas e aguardar a declaração do vencedor da licitação. A plataforma, no entanto, não gere a locação de imóveis, não publica na imprensa nacional e também não contempla as etapas do pós-venda do imóvel (homologação, contrato de compra e venda e averbação no registro de imóvel).

 

Quem pode participar

 

A partir do lançamento do VendasGov, qualquer pessoa física e jurídica, em qualquer lugar do país e com conta de login no Portal Gov.br, poderá visualizar os imóveis e participar das licitações. As condições e as regras de classificação e desclassificação estarão estabelecidas no respectivo edital de venda. No caso das pessoas jurídicas, é necessária a autenticação por meio do certificado digital do representante legal.

 

Fonte: Agência Brasil