De auxiliar de pedreiro a analista laboratorial, Funtrab oferece mais de 700 vagas em Mato Grosso do Sul; confira

A semana de 20 a 25 de maio teve início com 732 oportunidades para quem precisa de um emprego novo em Mato Grosso do Sul.

 

As vagas disponíveis no banco de dados da Fundação do Trabalho de Mato Grosso do Sul (Funtrab) são para a Capital e para o interior e os cargos são os mais diversos, que vão de auxiliar de pedreiro a analista laboratorial.

 

Quem estiver interessado deve ir, no horário das 7h às 17h, até a Funtrab (rua 13 de Maio, 2.773, Centro), na Capital; ou para a Casa do Trabalhador mais próxima, no interior.

 

Endereços, telefones e horários de atendimento de cada localidade estão no Boletim de Vagas.

 

Confira aqui as oportunidades de emprego.

De suco a pão: Dia D da campanha do Feirão venderá produtos sem impostos em várias cidades do Brasil

Combustíveis, cervejas, suco de laranja e pão francês são alguns produtos que serão vendidos sem impostos em várias cidades brasileiras no próximo dia 25, definido como Dia D do Feirão do Imposto, campanha que empresários, liderados pela Confederação Nacional dos Jovens Empresários (Conaje), promovem desde ontem (20).

 

A iniciativa será realizada em mais de 150 cidades de 18 estados e terá como tema Menos é Mais. A seleção dos produtos com imposto zero no ato da venda depende de parceria que os movimentos de jovens fazem com os varejistas de cada município.

 

Em Goiânia, o quilo do pão francês vai cair de R$ 16,80 para R$ 13,44 em uma padaria. Desconto de 20%.

 

Cinemas em várias localidades também integram a campanha. Em Nova Marabá (PA), um deles promete reduzir os preços dos ingressos de filmes 3D de R$ 24 para R$ 8 e de filmes 2D de R$ 20 para R$ 7 em todas as sessões do dia 24.

 

Também em Nova Marabá, um posto de combustível venderá gasolina mais barata, das 7h às 11h. O produto custará menos 30%. Serão vendidos 2,5 mil litros de gasolina, sendo que cada carro poderá abastecer 20 litros e motos, cinco litros.

 

O preço da gasolina vai cair de R$ 5,05 para R$ 3,50, para pagamento em dinheiro.

 

Conscientização

 

O coordenador nacional do Feirão do Imposto pela Conaje, Eduardo Medeiros Pereira, disse à Agência Brasil que o objetivo principal é conscientizar e mobilizar a população sobre a alta carga tributária que se paga sobre produtos e serviços.

Dia D do Feirão é referência ao Dia da Liberdade de Imposto (DLI), celebrado no dia 24 e que este ano coincidiu com a realização do feirão.

 

Medeiros Pereira disse que tem sido grande a adesão do comércio à campanha. “Eles (comerciantes) são bem solidários porque é uma causa que atinge diretamente o consumo. Todos nós sofremos com a alta carga tributária do Brasil e como esse imposto é mal gerido. Os comerciantes têm consciência disso”,afirmou.

 

Segundo ele, vários shoppings e supermercados do país participarão da campanha. Cidades estão fazendo comercialização de produtos sem imposto. Em Maringá (PR), por exemplo, postos de combustíveis farão a venda sem imposto, durante a semana do feirão, informou.

 

Política e empreendedorismo

 

Em Maceió, o feirão foi aberto na última sexta-feira (17), com o painel Política e Empreendedorismo. No dia 25, estudantes farão panfletagem no Calçadão do Comércio, no centro da capital, para conscientizar a população sobre os altos impostos.

 

A ação acaba no domingo (26), com a Exposição Feirão do Imposto, na Avenida Sílvio Vianna, onde vários produtos estarão expostos com preços com e sem imposto.

 

Em Cuiabá (MT), a primeira atividade programada acontecerá no dia 21, na Associação Comercial de Cuiabá, das 19h às 22h. O secretário da Fazenda de Mato Grosso, Rogério Galo, e empresários conduzirão o painel de debate Política x Empreendedorismo.

 

Entre os dias 23 e 25, um shopping oferecerá produtos aos visitantes com e sem impostos. Uma panfletagem no centro de Cuiabá vai encerrar a programação no dia 25.

 

A partir do dia 21, os paraenses poderão participar das atividades gratuitas do Feirão do Imposto 2019. Abrindo a programação, haverá uma Blitz de Conscientização, no Centro Universitário da Amazônia. À noite, professores da universidade conduzirão a mesa redonda Tributação de Imposto, que mostrará como a alta carga tributária afeta os comerciantes.

Em Maringá (PR), a ação começa hoje (20), com a venda de cervejas artesanais, sem tributos, das 17h30 à meia-noite, em um estabelecimento.

 

Menos é Mais

 

Medeiros Pereira estima que de duas mil a três mil pessoas estão envolvidas na realização do Feirão do Imposto este ano. Segundo ele, o tema Menos é Mais faz uma referência à Curva de Laffer, teoria econômica desenvolvida pelo economista Arthur Laffer, segundo o qual a diminuição dos impostos cobrados das empresas pode aumentar a arrecadação governamental.

Além da venda de produtos isentos de tributos nas cidades participantes durante a semana do Feirão do Imposto, serão promovidas palestras em escolas e intervenções urbanas relacionadas ao tema, entre outras ações simultâneas.

 

Fonte: Agência Brasil

 

Caixa Econômica vai convocar aprovados no concurso de 2014 e abre hoje o Programa de Desligamento de Empregado

A Caixa Econômica Federal vai convocar, a partir de 3 de junho, os aprovados no concurso promovido pelo banco em 2014. Os candidatos serão convocados de acordo com a necessidade e estratégia da empresa.

 

De acordo com o presidente da Caixa, Pedro Guimarães, o objetivo da contratação dos novos empregados é fortalecer a rede de agências, valorizado o atendimento aos clientes e a sociedade. “É importante focar em colocar as pessoas na Rede, que é o principal contato da CAIXA com os mais de 93 milhões de clientes que temos”.

 

PDV

 

A Caixa abrirá nesta segunda-feira (20), o Programa de Desligamento de Empregado (PDV).O incentivo financeiro será oferecido aos empregados que desejarem se desligar da empresa e que se enquadrem nas regras do Programa. O prazo para adesão dos interessados será de 20 de maio a 7 de junho.

 

Fonte: CEF

Índice de Atividade Econômica do Banco Central: previsões para o crescimento da economia brasileira estão menores

Com a tramitação da reforma da Previdência em ritmo menor do que o esperado, o mercado financeiro tem reduzido cada vez mais a previsão para o crescimento da economia este ano. O fraco desempenho da economia foi apontado na última semana pelo Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br), que apresentou queda de 0,68% no primeiro trimestre deste ano.

 

No início do ano, a previsão de instituições financeiras consultadas pelo Banco Central (BC) para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB, soma de todos os bens e serviços produzidos no país), era de 2,5%. Agora, após 11 reduções consecutivas na pesquisa semanal, chega a 1,45%.

 

Economistas e o governo argumentam que, sem a reforma da Previdência, o endividamento do governo aumenta e diminui a confiança dos investidores sobre a capacidade de o país de honrar os pagamentos da dívida pública. Com isso, os investimentos são reduzidos e há comprometimento da capacidade de criar emprego e gerar crescimento econômico.

 

tramitação reforma da Previdência na Câmara

Reforma da Previdência

 

O professor de macroeconomia do Ibmec-RJ e economista da Órama Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Alexandre Espírito Santo disse que, no final do ano passado e início de 2019, os analistas acreditavam que a reforma da Previdência, por ser considerado o principal problema fiscal do país, tramitaria de forma mais célere no Congresso Nacional. “Por ser mais ou menos um consenso na sociedade que é necessário fazer a reforma, acreditávamos que ia tramitar de maneira célere, que a gente teria no final do primeiro semestre a reforma encaminhada no Congresso Nacional com grandes chances de estar aprovada. Entretanto, depois que o governo começou, as coisas não fluíram dessa forma”.

 

Na visão do economista, o governo precisa focar na aprovação da reforma. “A articulação política é um problema até de alguma forma natural porque é um governo novo. Apesar de ter pessoas com experiência, governos quando são colocados pela primeira vez encontram dificuldades. Só que o país infelizmente está precisando de velocidade. A gente tem muito desemprego e crescimento pífio”, argumentou.

 

Para ele, há grande chance de a reforma ser “desidratada”. “Dependendo de quanto for desidratada é um problema, porque o país precisa dessa poupança. Os empresários que estavam querendo começar a investir adiaram os investimentos para quando efetivamente a reforma sair e a gente tiver efetivamente os números na mãos. E aí rapidamente as revisões [para o crescimento do PIB] aconteceram”, afirmou.

 

Copom

 

No último dia 14, na ata da reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), o BC adiantou que a economia pode apresentar recuo no primeiro trimestre deste ano. Segundo o documento, o processo de recuperação gradual da atividade econômica sofreu interrupção no período recente, mas a expectativa é de retomada adiante.

 

Na quinta-feira (16), o presidente do BC, Roberto Campos Neto, afirmou que o desempenho recente da economia foi decepcionante. Ele destacou que é preciso resolver a situação fiscal para o país voltar a ter investimentos. “Ficamos decepcionados com o resultado”, disse.

 

Campos Neto acrescentou que existia a expectativa no mercado financeiro de que, após eleição, a questão fiscal fosse rapidamente resolvida. Entretanto, como isso não ocorreu, o mercado está em processo de espera pelas reformas.

 

“Incertezas continuam no ar. Isso explica um pouco esse adiamento da decisão de investir”.

 

Previsão de crescimento

 

O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse no dia 14, que a equipe econômica já está trabalhando com uma previsão de crescimento de 1,5% neste ano. Segundo ele, a reformulação de expectativas diante da demora na aprovação da reforma da Previdência justificou a revisão das estimativas.

 

O governo deve divulgar no próximo dia 22, a nova previsão para o crescimento da economia neste ano. Em março, o governo previa expansão de 2,2%. Com a desaceleração do crescimento econômico, as receitas do governo diminuem, o que provavelmente tornará necessário novo contingenciamento (bloqueio) de verbas do Orçamento deste ano.

 

O resultado do PIB do primeiro trimestre deste ano será divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) no próximo dia 30.

 

Fonte: Agência Brasil

Senai de Dourados oferece oito cursos e capacitações que vão de logística à mecânica automotiva; confira

Com um mercado de trabalho cada vez mais exigente, sai na frente quem tem o melhor currículo. Para contribuir com isso, o Senai de Dourados está com matrículas abertas para oito cursos de formação profissional: gestão em logística, planilhas eletrônicas avançadas, eletricista industrial, noções básicas de solda MAG, noções básicas de solda TIG, princípios de elétrica automotiva, noções básicas de mecânica automotiva e noções básicas de suspenção de veículos. As matrículas podem ser feitas diretamente na secretaria do Senai de Dourados, que fica na Rua 20 de Dezembro, 2.445, Bairro Vista Alegre.

 

Segundo o gerente do Senai de Dourados, Gilberto Evidio Schaedler, os cursos são na modalidade aperfeiçoamento profissional, qualificação profissional e iniciação profissional e têm como objetivo atender a demanda da região. “Como a maioria das capacitações tem uma carga-horária reduzida e um valor acessível, é uma excelente oportunidade de se qualificar e, assim, melhorar o currículo”, afirmou.

 

Na modalidade aperfeiçoamento profissional, o Senai disponibiliza os cursos de planilhas eletrônicas avançadas e gestão em logística, com início das aulas nos dias 18 de maio e 20 de maio, respectivamente, sendo o primeiro no período vespertino, com aulas sempre aos sábados, e o segundo no período noturno, com aulas às segundas, quartas e sextas-feiras.

 

Na modalidade iniciação profissional, são oferecidos os cursos de noções básicas de MAG, noções básicas de TIG, princípios de elétrica automotiva, noções básicas de mecânica automotiva e noções básicas de suspenção de veículos, todos com início em 20 de maio e com aulas de segunda à sexta. Também haverá turmas extras dos cursos de noções básicas de solda TIG e princípios de elétrica automotiva, com início no dia 27 de maio.

 

O Senai ainda oferta o curso de qualificação profissional de eletricista industrial, na modalidade EAD (Educação a Distância). Com uma carga-horária de 380 horas-aulas, a formação terá duas turmas, ambas com início no dia 30 de maio, com aulas apenas às quintas-feiras, sendo uma no período vespertino e outra no período noturno.

 

Confira os objetivos e requisitos mínimos de cada curso:

1 – Gestão em logística

Duração: 80 horas-aulas

Período: noturno

Início das aulas: 20 de maio

Requisitos: ter 16 anos completo e estar cursando ou ter concluído o Ensino Médio

 

Objetivo: desenvolver capacidades técnicas e de gestão inerentes à coordenação de atividades administrativas, como levantamento de necessidades de treinamentos, capacitação, e elaboração de documentos norteadores da administração, entre outros, bem aplicar princípios básicos para liderar uma equipe.

 

2 – Planilhas eletrônicas avançadas

Duração: 40 horas-aulas

Período: vespertino

Início das aulas: 18/05

Requisitos: ter 16 anos completo e estar cursando ou ter concluído o Ensino Médio

 

Objetivo: dominar os principais recursos e opções do Microsoft Excel. Criando planilhas eletrônicas, com funções e gráficos complexos, cenários, tabelas dinâmicas, filtros, formulários e macros.

 

3 – Eletricista industrial

Duração: 380 horas-aulas

Período: uma turma no período vespertino e outra no noturno

Início das aulas: 30/05

Requisitos: ter 18 anos completos e concluído o 5º ano do Ensino Fundamental

 

Objetivo: executar trabalhos de montagem e manutenção de instalações elétricas em baixa tensão, e de sistemas elétricos de máquinas e equipamentos, interpretando esquemas e diagramas, realizando levantamento de cargas, montagem de quadro de distribuição e de comando, instalação de dispositivos, componentes e materiais, e programando controladores lógicos, de acordo com normas técnicas, ambientais, de qualidade e de segurança e saúde no trabalho.

 

4 – Noções básicas de solda MAG

Duração: 60 horas-aulas

Período: vespertino

Início das aulas: 20/05

Requisitos: ter mais de 18 anos e Ensino Fundamental completo

Objetivo: conhecer e regular equipamentos de solda do processo MAG considerando as normas, padrões e requisitos técnicos, de qualidade, de saúde e segurança e de meio ambiente.

 

5 – Noções básicas de solda TIG

Duração: 60 horas-aulas

Período: uma turma no período vespertino e outra no noturno

Início das aulas: turma vespertina em 20/05 e noturna em 27/05

Requisitos: ter mais de 18 anos e Ensino Fundamental completo

Objetivo: conhecer e regular equipamentos de solda do processo TIG considerando as normas, padrões e requisitos técnicos, de qualidade, de saúde e segurança e de meio ambiente.

 

6 – Princípios de elétrica automotiva

Duração: 40 horas-aulas

Período: uma turma no período vespertino e outra no noturno

Início das aulas: turma vespertina em 20/05 e noturna em 27/05

Requisitos: Ter mais de 16 anos completos e Ensino Fundamental completo

Objetivo: reconhecer os fundamentos básicos em eletricidade automotiva identificando conceitos e normas e procedimentos técnicos de qualidade, segurança, higiene e saúde.

 

7 – Noções básicas de mecânica automotiva

Duração: 40 horas-aulas

Período: vespertino

Início das aulas: 20/05

Requisitos: Ter mais de 16 anos completos e Ensino Fundamental completo

 

Objetivo: coordenar processos de manutenção eletromecânica e de sistema estrutural, manter e inspecionar sistemas mecânicos e eletroeletrônicos automotivos, planejando seu trabalho, seguindo normas e procedimentos técnicos, de qualidade, de produtividade, de preservação ambiental e de saúde e segurança no trabalho.

 

8 – Noções básicas de suspensão de veículos

Duração: 40 horas-aulas

Período: vespertino

Início das aulas: 20/05

Requisitos: Ter mais de 16 anos completos e Ensino Fundamental completo

Objetivo: realizar a manutenção dos sistemas de freios, suspensão e direção considerando as normas, padrões e requisitos técnicos, de qualidade, de saúde e segurança e de meio ambiente

Plano Geral de Metas de Competição: Anatel anuncia medidas para banda larga mais acessível

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) anunciou na sexta-feira (17) uma série de intervenções no mercado de atacado de telecomunicações – formado por grandes redes de tráfego, por onde passam informações e dados dos serviços (como a voz em uma ligação ou uma mensagem de e-mail).

 

As medidas, previstas no Plano Geral de Metas de Competição (PGMC), visam favorecer a competição na oferta de serviços em 3.909 municípios com pouca ou nenhuma competição no setor.

 

Conforme estabelecido, as grandes empresas – como Oi e Telefônica, na telefonia fixa; e Vivo, Claro, TIM e Oi na telefonia celular – terão que disponibilizar para os pequenos provedores de serviços de telecomunicação acessos a dutos de cabeamento, roaming nacional, troca de dados em alta capacidade e interconexão telefônica.

 

O diretor-presidente da Anatel, Leonardo Euler de Morais, assinala que a iniciativa visa tornar o mercado mais eficiente, e podem resultar em redução no preço dos serviços para o consumidor final, em especial na banda larga.

 

Farinha de trigo e pão

 

“Começa um ciclo agora de maior dinâmica para o mercado de atacado”, disse Leonardo Euller que comparou a regulação da agência com a regulação do preço da farinha de trigo para favorecer o segmento de panificação.

 

“Eu posso regular o preço do pão ou escolher regular o preço da farinha e a partir disso estimular a competição no mercado do pão. O principal benefício é a melhoria da qualidade e a potencial redução dos preços dos serviços de telecomunicações, em especial a banda larga”, acrescentou.

 

A intervenção no mercado de dutos foi apontada pela agência como uma das principais medidas para favorecer os pequenos provedores, que já são responsáveis pela maioria dos acessos à internet no país. A redução do preço no mercado de dutos é de “centenas de vezes o valor mensal devido por quilômetro compartilhado. Em versões anteriores das ofertas, já foram registrados preços superiores a R$ 50 mil por quilômetro de duto compartilhado”, descreveu nota da Anatel. A agência apontou que os preços ficarão na faixa de R$ 120 a R$ 750 o km.

 

Já no mercado de dutos, a Anatel aponta que os provedores regionais de banda larga vão contar com melhores condições de transporte de tráfego em 2.493 municípios. Os preços terão uma variação de R$ 1,40 a R$ 24 o megabit por segundo (Mbps). As ofertas irão viabilizar as conexões nos seis grandes pontos de tráfego indicados pela agência: São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre, Fortaleza, Curitiba e Brasília.

 

De acordo com o superintendente de competição da Anatel, Abraão Balbino, os pequenos provedores terão maiores condições de expandir o serviço, especialmente em municípios de pequeno e médio porte.

 

“Este é um pleito de contestação dos provedores e principal falha de mercado no transporte de internet no Brasil. Ninguém entregava condições para os pequenos provedores, agora você tem um preço controlado para chegar aonde está o conteúdo em uma condição vantajosa. Isso vai ampliar a qualidade e reduzir os preços da banda larga em todos esses pontos”, disse Balbino.

 

Fonte: Agência Brasil

Centro Internacional de Negócios traz programa de incentivo à inovação para empresários de Mato Grosso do Sul

O CIN/MS (Centro Internacional de Negócios de Mato Grosso do Sul) promove, no próximo dia 28 de maio, a partir das 9h, no auditório da Escola Senai da Construção, em Campo Grande (MS), o evento “Conecta Startup Brasil – A Revolução 4.0”, que apresentará aos empresários do Estado um programa que promete aproximar iniciativas de inovação às empresas de todo o Brasil.

 

Segundo a coordenadora do CIN no Estado, Nathália Alves, os empresários interessados podem ser inscrever pelo link https://www.sympla.com.br/conecta-startup-brasil—a-revolucao-40__528822. “O Programa Conecta Startup Brasil é uma iniciativa conjunta entre o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações, a ABDI (Associação Brasileira de Desenvolvimento Industrial) e a Softex (Associação para Promoção da Excelência do Software Brasileiro) com a execução do CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico)”, detalhou.

 

Ela acrescenta que o Conecta Startup Brasil é focado no fomento, desenvolvimento e transformação de ideias conectadas ao mercado, conectando vários atores, como empreendedores, instituições de apoio, universidades e centros de pesquisa e desenvolvimento, entidades investidoras e empresas.

 

“Nesse primeiro momento, a ideia é convidar as empresas interessadas em codesenvolver soluções inovadoras com o apoio de startups em estágio inicial. Elas se cadastrão e informarão quais são os principais gargalos que enfrentam com relação à tecnologia para serem solucionados por statups que também vão ser convocadas a participar do Programa. O grande objetivo é melhorar o ecossistema de inovação dentro do País”, explicou Nathália Alves.

 

A coordenadora do CIN reforça que, para as empresas, o Conecta Startup Brasil é uma oportunidade de acessar novas tecnologias e desenvolver soluções inovadoras que atendam às suas necessidades. “Os projetos aprovados poderão receber até R$ 200 mil em investimentos e as ações incluem desde a ideação, passando pela conexão, capacitação, mentoria e também o acesso tanto ao mercado como a investimentos. Com certeza é uma oportunidade muito boa para que os empresários melhorem a competitividade das suas empresas e possam, a partir daí, buscar novos mercados, como o comércio exterior”, destacou.

Ministro da Economia Paulo Guedes prevê enxurrada de “notícias boas” após reforma da Previdência

O ministro da Economia, Paulo Guedes, previu que haverá uma “enxurrada de notícias boas” no segundo semestre, após a aprovação da reforma da Previdência. Ele também classificou de barulho as notícias sobre o mau resultado do Produto Interno Bruto (PIB) este ano, garantindo que as expectativas vão se reverter rapidamente após a aprovação da reforma. Guedes participou ontem (17) do 91º Encontro Nacional da Indústria da Construção (Enic) e, entre outros acenos para o setor, disse que o governo fará um choque da energia barata, entre 30 a 60 dias, para ajudar a economia.

 

 

“O choque da energia barata, se cortar o gás pela metade do preço, permite a reindustrialização do Brasil. Hoje o gás é queimado, quando se retira o petróleo. Só a Vale está dizendo que vai investir US$ 20 bilhões nos próximos 10 anos, para fazer os gasodutos. Tem muita coisa positiva vindo por aí. Nós estamos tentando manter o foco. A bola está na marca do pênalti. Chutou a bola para dentro, vai começar uma enxurrada de notícias boas, que nós estamos preparando para o segundo semestre”, disse o ministro, que foi aplaudido pelo público do encontro, formado principalmente por representantes da indústria da construção.

 

 O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia e o ministro da Economia, Paulo Guedes, participam do Encontro Nacional da Indústria da Construção, na Barra da Tijuca.
O presidente da Câmara, Rodrigo Maia e o ministro da Economia, Paulo Guedes, participam do Encontro Nacional da Indústria da Construção – Fernando Frazão/Agência Brasil

 

 

Guedes, que subiu ao palco do evento com o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), elogiou a participação do Congresso na condução da reforma da Previdência, considerada por ele como “a mãe das reformas”.

 

“Nós estamos muito confiantes na liderança dele [Rodrigo Maia] na Câmara dos Deputados, no apoio político que estamos recebendo lá. Rodrigo tem sido muito construtivo como presidente da Câmara. O [senador e presidente do Senado] Davi Alcolumbre [DEM-AP] também nos tem dado todo apoio. Se fizermos uma reforma de R$ 1 trilhão, nós temos potência fiscal para lançarmos um sistema de capitalização logo depois. E este sistema de capitalização bota o Brasil para crescer. A reforma da Previdência clareia os horizontes para investimentos privados, internos e externos. Na hora em que aprovar, os recursos começam a vir”, disse Guedes.

 

Um outro país

 

Guedes afirmou que a reforma será aprovada nos próximos meses e no segundo semestre já será possível perceber um “outro país”. Para o ministro, os resultados de crescimento do PIB abaixo do esperado na economia não são preocupantes, pois apenas indicam que houve um excesso de otimismo do mercado.

 

“O Brasil vai retomar o crescimento. Esta revisão [do crescimento do PIB] que está sendo feita para baixo agora não está me preocupando. Mercado financeiro é meio excitado mesmo. Isso é coisa menor. É som de batalha. É tiro para cá, tiro para lá, mas o que interessa é a marcha principal do evento. Os Poderes estão alinhados, o Congresso e o Executivo falando a mesma língua, do ponto de vista econômico. Aqui é uma barulheira na superfície, mas no mais profundo é um processo saudável, construtivo. É a dinâmica de uma sociedade aberta. Estou super confiante no Brasil”, disse o ministro.

 

Fonte: Agência Brasil

Receita aumenta para R$ 5 milhões teto de parcelamentos de dívidas; limite anterior não era reajustado desde 2013

Os contribuintes que devem até R$ 5 milhões podem parcelar débitos com a Receita Federal. O Diário Oficial da União publicou ontem (16) instrução normativa que amplia em cinco vezes o valor máximo de parcelamento ordinário.

 

O limite anterior, de R$ 1 milhão, não era reajustado desde 2013. O parcelamento ordinário permite que os débitos com o Fisco sejam renegociados em até 60 parcelas (cinco anos). No entanto, diferentemente dos parcelamentos especiais, também chamados de Refis, não há desconto nas multas e nos juros.

 

A instrução normativa foi necessária depois que o Ministério da Economia revogou uma portaria conjunta da Receita Federal e da Procuradoria-Geral de Fazenda Nacional (PGFN) de 2009 que unificava os procedimentos para o parcelamento de débitos nos dois órgãos. A Receita administra as dívidas tributárias (tributos em atraso). A PGFN cuida da dívida ativa da União, que reúne os débitos cobrados na Justiça.

 

Segundo a portaria, o valor de cada parcela será obtido mediante a divisão do valor da dívida consolidada pelo número de parcelas pedidas, desde que a prestação mínima corresponda a R$ 200 para devedor pessoa física ou R$ 500 para devedor pessoa jurídica.

 

Fonte: Agência Brasil