Produção agropecuária atinge recorde de R$ 630,9 bi; 2019 foi marcado pelo alto faturamento do milho e da pecuária

O Valor Bruto da Produção Agropecuária (VBP) encerrou 2019 com R$ 630,9 bilhões, 2,6% acima do obtido no ano anterior. De acordo com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), o valor é recorde para a série histórica, iniciada em 1989, superando o VBP de 2017, de R$ 627,1 bilhões. No ano passado, as lavouras geraram um valor de R$ 411,1 bilhões e a pecuária, R$ 219,8 bilhões.

 

Em nota do Departamento de Financiamento e Informação, da Secretaria de Política Agrícola, o Mapa destaca que o ano passado foi marcado pelo crescimento extraordinário do faturamento do milho e o desempenho também excepcional da pecuária, com crescimento real de 9%. Já as lavouras sofreram redução de 0,5%.

 

Destaques

 

Os produtos que mais se destacaram foram algodão, milho, amendoim, banana, batata-inglesa, feijão, mamona e tomate. “Esses lideraram o crescimento, e, juntamente com a pecuária, foram responsáveis pela elevada geração de renda na agricultura”, diz a nota.

 

Para o ministério, pode-se atribuir como força propulsora do crescimento, em grande parte, o aumento das vendas para o mercado internacional, que nos últimos meses de 2019 teve forte impacto na alta da pecuária – destacam-se a expansão das exportações de carne bovina, suína, frango, bem como o aquecimento do consumo interno de ovos.

 

Arroz, café, cacau, mandioca, soja, trigo e cana-de-açúcar tiveram desempenhos desfavoráveis entre as lavouras analisadas. A previsão é que algumas continuem nesse patamar em 2020, mas outras apresentem recuperação, como a soja e o café.

 

Os dados regionais mostram que os estados de Mato Grosso, São Paulo, Paraná, Minas Gerais, Rio Grande do Sul e Goiás lideraram a participação no VBP no ano de 2019.

 

Previsão para 2020

 

Os indicadores de safra e de preços agrícolas mostram estimativas preliminares para o VBP de 2020 em R$ 674,8 bilhões, 7% superior na comparação com o de 2019.

 

As lavouras têm previsão de crescimento de 4,6% e a pecuária, 11,3%. Entre os produtos que apresentam melhor previsão de crescimento estão o café e a soja, que devem ter ganhos de 37,6% e 15%, respectivamente.

 

O VBP mostra a evolução do desempenho das lavouras e da pecuária ao longo do ano e corresponde ao faturamento bruto dentro do estabelecimento. Ele é calculado com base na produção da safra agrícola e da pecuária e nos preços recebidos pelos produtores nas principais praças do país, dos 26 maiores produtos agropecuários do Brasil. O valor real da produção, descontada a inflação, é obtido pelo Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI), da Fundação Getulio Vargas. A periodicidade é mensal.

 

Fonte: Agência Brasil

Receita Federal divulga balanço das apreensões em Curitiba de remessas postais internacionais de drogas e armas

Por volta de 98% das remessas postais internacionais de pequeno porte que chegam ao Brasil são tratadas pela Receita Federal em Curitiba, no Centro Internacional de Curitiba (Ceint Curitiba), localizado em Pinhais/PR.

 

Em 2019 o Ceint Curitiba registrou um recebimento de quase 78 milhões de remessas postais internacionais, com um aumento de quase 12% quando comparado ao número de remessas postais recebidas em 2018. A média mensal ficou em torno de 6,5 milhões de remessas postais recebidas.

 

Em 2019, foi constatado um aumento de 95% nas apreensões de remessas postais internacionais contendo drogas ilícitas. De 1.558 remessas apreendidas em 2018 esse número praticamente dobrou em 2019, com o registro de 3.037 remessas com drogas.

 

O aumento significativo das apreensões de remessas postais internacionais com drogas ocorreu devido ao trabalho constante da Receita Federal no aprimoramento da gestão de risco, das ações de inteligência e da integração com outros órgãos federais. Destaca-se também o uso de scanners, o trabalho diário realizado pelos cães de faro da Receita Federal no recinto alfandegado e as ações de capacitação dos servidores da Receita Federal.

 

Em 2019, além das apreensões de drogas, a Receita Federal registrou a apreensão de 16.379 remessas postais internacionais contendo partes e peças de armamentos (envio fracionado) ou simulacros de armas de fogo, com um aumento de 15% em relação ao ano anterior.

 

Já em relação à apreensão de produtos contrafeitos, as 3.118 apreensões de 2019 superaram em 78% as 1.748 apreensões de 2018. Fato este que também aponta para uma melhora da análise de risco por parte da Receita Federal.

 

Outro dado importante para 2019 foram as apreensões de 12.240 remessas postais internacionais contendo aparelhos bloqueadores de sinal de celular, cuja importação é proibida pela Agência Nacional de Telecomunicações – Anatel.

 

Por fim, foram lançados mais de R$ 67 milhões em impostos devidos relativos às remessas postais que chegaram ao Brasil pelo Ceint Curitiba.

 

Fonte: Receita Federal

Pesquisa CNI: consumidor espera saldões para comprar com desconto produto mais caro e com garantia

Setenta e um por cento dos consumidores brasileiros esperam promoções e saldões para adquirir produtos de maior valor, como eletrodomésticos, móveis, celulares, eletrônicos e automóveis, com preços mais em conta. Os dados são da pesquisa Retratos da Sociedade Brasileira sobre práticas de consumo, divulgada nesta terça-feira (14) pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). Segundo a pesquisa, o percentual daqueles que diziam aguardar saldões para fazer as compras era 64%, em 2013, ante os 71% de 2019.

Entre os brasileiros com renda familiar de até um salário mínimo, 78% costumam buscar informações sobre garantia e serviços de pós-venda. O percentual diminui à medida que a renda familiar cresce – 69% dos brasileiros de famílias que recebem mais de cinco salários mínimos têm o hábito de pesquisar por esses aspectos antes da compra do item de maior valor.

 

Na avaliação da CNI, uma possível explicação para o maior interesse das pessoas de renda mais baixa é que elas demoram mais para trocar bens de maior valor. Portanto, se importam mais com os serviços de pós-venda, a fim de garantir que as peças estarão disponíveis durante a vida útil do produto e que haverá mão de obra qualificada para fazer os reparos necessários.

 

Os números apontam ainda que a quantidade de consumidores que se importa com a garantia e os serviços de pós-venda aumentou de 65%, em 2013, para 74%, em 2019.

 

São Paulo - Movimento no comércio da rua Teodoro Sampaio, em Pinheiros, durante o Black Friday (Rovena Rosa/Agência Brasil)
De acordo com o levantamento da CNI, quanto menor a renda familiar maior o costume de esperar promoções – Rovena Rosa/Agência Brasil

 

 

Para o gerente-executivo de Pesquisa e Competitividade da da entidade, Renato da Fonseca, “Isso mostra toda uma mudança que vem afetando a indústria. Não adianta só entregar o produto, é preciso entregar o serviço do produto. E esse produto tem que funcionar por mais tempo”.

 

Na avaliação de Renato, com a crise econômica, essa questão ficou ainda mais importante porque os consumidores com dificuldade de renovar o produto estão ainda mais preocupados com a manutenção, com o conserto e com esse serviço. “Essa deve ser uma preocupação que precisa estar à frente das indústrias.O consumidor está mais exigente na qualidade e no preço do produto”, disse.

 

Pechincha

 

A pechincha, hábito de pesquisar preços antes de adquirir o produto desejado, é tradição da maioria do consumidor brasileiro, principalmente na compra de bens de maior valor. Segundo a pesquisa, 93% dos consumidores pechincham, enquanto 80% pesquisam as características técnicas desses produtos antes de adquiri-los.

 

Entre os mais jovens (16 a 24 anos), o hábito de pechinchar é menor – chega a 73%. Outro grupo em que o hábito de pechinchar é menos comum – 70% – é o de consumidores com renda familiar superior a cinco salários mínimos.

 

 Movimento do comércio popular na 25 de Março no mês do Natal.
. A pechincha, hábito de pesquisar preços antes de adquirir o produto desejado, é tradição da maioria do consumidor brasileiro – Rovena Rosa/Agência Brasil

Design e propaganda

 

De acordo com a pesquisada CNI, o preço, a qualidade e a marca do produto são considerados os fatores mais importantes na hora de adquirir o bem de maior valor. Entre os brasileiros com renda familiar superior a cinco salários mínimos, 39% apontam preço e 57% apontam qualidade entre os dois fatores mais importantes. Esse padrão se inverte para os brasileiros de renda familiar inferior a um salário mínimo: 54% consideram preço e 39% consideram qualidade entre os dois fatores mais importantes.

 

Em relação aos fatores considerados menos importantes na aquisição de bens de maior valor, 41% dos brasileiros apontam a propaganda, enquanto 27% citam design/aparência entre os dois fatores menos importantes. Novidade/lançamento aparece logo em seguida, assinalado por 23% dos entrevistados como um dos dois fatores menos importantes.

 

Os homens valorizam a marca e o fabricante dos produtos mais do que as mulheres. Entre eles, 37% apontaram o fator marca/fabricante entre os dois fatores mais importantes, percentual que cai para 31% entre as mulheres. Quanto maior a renda familiar dos brasileiros, mais eles consideram qualidade e menos eles consideram preço entre os fatores mais importantes na compra de bens de maior valor.

 

A pesquisa Retratos da Sociedade Brasileira sobre o perfil do consumidor ouviu 2 mil pessoas em 126 municípios, entre 19 e 22 de setembro de 2019.

 

Fonte: Agência Brasil

Produção industrial recua em 11 locais de outubro para novembro, segundo IBGE

A produção industrial recuou em 11 dos 15 locais pesquisados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), na passagem de outubro para novembro de 2019. Segundo a Pesquisa Industrial Mensal, divulgada hoje (14), a maior queda foi observada no Paraná (-8%).

 

Outros locais que tiveram queda acima da média nacional (-1,2%) foram o Espírito Santo (-4,9%), Pernambuco (-4,1%), a Bahia (-3,5%), Minas Gerais (-3,4%), São Paulo (-2,6%), Goiás (-2,1%), o Pará (-1,8%) e Rio Grande do Sul (-1,5%). Também tiveram queda a Região Nordeste (-1%) e Santa Catarina (-0,4%).

 

Por outro lado, três estados tiveram alta na produção no período: Rio de Janeiro (3,7%), Ceará (3,4%) e Mato Grosso (2,7%). O Amazonas manteve o mesmo nível de produção nos dois meses.

 

Outras comparações

 

Na comparação com novembro de 2018, houve quedas em dez locais, com destaque para o Espírito Santo (-24,3%). Cinco locais tiveram alta. Os maiores crescimentos na produção foram registrados no Rio de Janeiro (13,3%), Amazonas (11,5%) e em Goiás (10,3%).

 

No acumulado de 12 meses, foram registradas quedas em oito locais. O Espírito Santo também foi o destaque negativo nesse tipo de comparação, ao recuar 13,5%. Sete locais tiveram alta, com destaque para o Paraná (5%).

 

Fonte: Agência Brasil

Aberto prazo para envio de inscrição em processo seletivo da Sanesul que oferece vagas em 20 municípios do Estado

Começa nesta quarta-feira, 15 de janeiro, o prazo para envio de inscrições do processo seletivo simplificado da Empresa de Saneamento de Mato Grosso do Sul (Sanesul) – que vai contrata 40 profissionais de nível fundamental, médio e técnico para trabalhar em 20 cidades. Há oportunidades para encanador, assistente administrativo e técnico em segurança no trabalho.

 

Candidatos interessados nas vagas devem imprimir fichas de inscrição no site da Sanesul (www.sanesul.ms.gov.br) e enviar o documento, via sedex, para a Gerência de Desenvolvimento de Pessoas (Gedep) da Empresa, que fica na Rua Dr. Zerbini, 421, Chácara Cachoeira, em Campo Grande.

 

O prazo para envio da inscrição e dos demais documentos solicitados segue aberto até a próxima sexta-feira, 17 de janeiro. Edital com as regras do certame está disponível no Diário Oficial do Estado (DOE-MS), na edição de 8 de janeiro de 2020. Clique aqui para conferir.

 

Vagas

 

Com jornada de trabalho de 200 horas mensais para turno fixo ou 180 horas mensais para turno de revezamento, as oportunidades são para agente operacional (6 vagas), encanador (9), operador de equipamento automotivo (2), assistente administrativo (1), assistente comercial (7), assistente técnico operacional (3), desenhista projetista (2), eletromecânico/eletricista industrial (1), laboratorista (4), técnico da construção civil (1), técnico em saneamento (3) e técnico em segurança do trabalho (1).

 

Os salários variam entre R$ 1.455,09 e R$ 3.189,38, conforme o cargo.

 

Há oportunidades para as cidades de Alcinópolis, Anaurilândia, Aral Moreira, Campo Grande, Chapadão do Sul, Corumbá, Douradina, Dourados, Inocência, Ivinhema, Maracaju, Mundo Novo, Nova Andradina, Ponta Porã, Rio Brilhante, Rio Verde de Mato Grosso, Santa Rita do Pardo, Sidrolândia e Três Lagoas, além dos distritos de Pana (Nova Alvorada do Sul) e Prudêncio Thomaz (Rio Brilhante).

Petrobras reduz preço da gasolina e diesel nas refinarias; queda de preço para consumidor ainda deve demorar

A Petrobras confirmou, ontem (13), redução de 3% no preço do diesel e da gasolina para as refinarias. A medida entra em vigor nesta terça-feira (14). O último reajuste anunciado pela companhia para a gasolina foi em 1º de dezembro do ano passado e, para o diesel, no dia 21 daquele mês.

 

A medida não surpreendeu o mercado, disse hoje (13) à Agência Brasil o presidente da Federação Nacional do Comércio de Combustíveis e de Lubrificantes (Fecombustíveis), Paulo Miranda Soares.

 

Soares lembrou que, quando começou a tensão entre Irã e Estados Unidos, o preço do barril de petróleo no mercado internacional subiu de US$ 64 para US$ 70. Como o preço já voltou ao patamar anterior, Soares disse que a tendência é de queda do preço dos dois combustíveis no mercado interno brasileiro. “É absolutamente normal e esperada essa atitude da Petrobras.”

 

O presidente da Fecombustíveis ressaltou, porém, que, para o consumidor, a redução do preço deve demorar algum tempo, porque as distribuidoras têm que gerir o estoque, estimado entre 15 milhões e 20 milhões de litros. “Só baixa o preço quando ela [distribuidora] vender o estoque que comprou mais caro”. Para chegar à bomba, deve demorar 15 dias, “porque a concorrência é muito grande no setor de revenda”, disse Soares.

 

Fonte: Agência Brasil

Imposto de Renda: contribuinte não poderá deduzir gasto com previdência de doméstica e cota de acidente de trabalho

Um dos benefícios destinados a aumentar a formalização dos empregados domésticos acabou neste ano. A dedução de até R$ 1.251,07 do Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF) dos gastos dos patrões com a Previdência Social e com a cota de acidente de trabalho perdeu a validade para a declaração de 2020.

 

Em vigor desde 2006, a lei que criou o benefício estabelecia que a dedução valeria até o pagamento do Imposto de Renda de 2019. Em outubro, os senadores aprovaram um projeto de autoria do senador Reguffe (Podemos-DF) para estender o benefício até 2024, mas a proposta só foi enviada à Câmara dos Deputados no fim de novembro, sem tempo de ser votada.

 

O senador Acir Gurgacz (PDT-RO) também apresentou um projeto para tornar permanente o abatimento das contribuições dos empregados domésticos. A proposta, no entanto, ainda está na Comissão de Assuntos Econômicos do Senado.

 

Arrecadação 

 

Segundo a Receita Federal, a dedução levou o governo a abrir mão de R$ 674 milhões em 2019. Para este ano, o órgão espera reforçar a arrecadação em R$ 700 milhões com a extinção do benefício.

 

Pela legislação anterior, o limite para o abatimento equivalia à contribuição de 8% para o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), mais a cota de acidente de trabalho de 0,8% referente a um único empregado doméstico que recebia o salário mínimo em vigor entre dezembro de dois anos anteriores a novembro do exercício anterior. Dessa forma, o patrão que pagava salário mínimo tinha dedução integral das contribuições para a Previdência Social.

 

Em nota, o Instituto Doméstica Legal informou que a extinção do mecanismo de abatimento deve agravar a informalidade entre os trabalhadores domésticos. Segundo a entidade, atualmente apenas um em cada quatro domésticos trabalham com carteira assinada, e o número deve diminuir com o fim do benefício fiscal.

 

Fonte: Agência Brasil

Bradesco recebe auto de infração e pode ser multado por demorar atendimento

Apesar de insistentes intervenções de equipes da Superintendência para Orientação e Defesa do Consumidor – Procon/MS, órgão integrante da Secretaria de Estado de Direitos Humanos, Assistência Social e Trabalho – Sedhast no sentido de orientar o atendimento de modo a  cumprir o que determina a legislação de consumo, redes bancárias insistem em transgredir e  prejudicar o consumidor.

 

Desta vez foi na agência do Bradesco localizada na  Rua Cândido Mariano 1 541 que, fiscais do Procon Estadual, atendendo a  denúncias de consumidores, constataram irregularidades, principalmente no que diz respeito à demora excessiva no atendimento. De cinco senhas verificadas, três consumidores foram prejudicados com a demora havendo caso em que a demora  chegou a 1 hora e 17 minutos pra atendimento geral e outra em que a espera foi de 1 hora e três minutos para cliente  que se dirigia ao caixa.

 

Ressalta-se  que em dias normais a legislação prevê pera de, no máximo, 15 minutos enquanto em dia de pagamento de servidores públicos ou de maior incidência de vencimento de boletos este tempo pode  chegar a 20 minutos. Dada a insistência da unidade bancária, alvo de fiscalizações anteriores, foi, mais uma vez, expedido auto de infração que poderá, após análise do setor jurídico do Procon Estadual,  culminar em multa para o banco em questão.

Mato Grosso do Sul inicia semana com 2,8 mil oportunidades de empregos intermediados pela Funtrab; confira

Mato Grosso do Sul inicia a segunda-feira (13) com a oferta de 2.830 vagas de emprego intermediadas pela Fundação do Trabalho (Funtrab).

 

Entre vagas convencionais e para pessoa com deficiência (PcD), Campo Grande tem 181 vagas disponíveis. O maior número de oportunidades na Capital é para analista de suporte técnico, auxiliar de logística, auxiliar de expedição, auxiliar de limpeza, e atendente do setor de frios e laticínios.

 

Das 31 unidades da casa do trabalhador no Estado, as regiões com maior oferta de vagas na semana, são Iguatemi e Aquidauana que juntas, somam 2.175 oportunidades para indígenas que desejam atuar no cultivo de maça nos estados de Santa Catarina (SC) e Rio Grande do Sul (RS).

 

Os interessados nas funções ofertadas para Campo Grande, devem procurar a Funtrab na Rua 13 de Maio, n° 2.773, Centro, das 7h30 às 17h30. No interior, os candidatos devem procurar uma unidade da Casa do Trabalhador (confira aqui endereços e horários de funcionamento). Para participar da seleção é necessário apresentar documentos pessoais como RG, CPF e Carteira de Trabalho.

 

A lista completa de oportunidades para a semana pode ser conferida aqui.