Energisa contesta Procon sobre número de reclamações e diz ser improcedente

A Energisa, pela sua assessoria de imprensa, informa que o ranking do Procon  Estadual considera em seu número, além das reclamações, os atendimentos e orientações realizadas ao cliente. A manifestação da concessionária de energia elétrica é sobre a divulgação, pelo orgão  de defesa do consumidor, do balanço de queixas de consumidores recebidas, dentre elas, contra a empresa.

 

De acordo com a nota da Energisa, “o ranking apresenta ainda um elevado número de reclamações improcedentes que somam 96% do total de atendimentos”.

 

Esclarece ainda que ajustando o número no Sistema Nacional de Informações de Defesa do Consumidor (Sindec), base dados que é utilizada pelo próprio Procon, o número correto seria:

*Janeiro de 2021 – de 01 até 20/01*

(+) Número Considerado no Ranking pelo PROCON – 90

(-) Atendimentos e Orientações (Não são reclamações) – 60

(-) Reclamações Improcedentes e arquivadas (Foram todas respondidas e não existia procedência) – 58.

 

 

Por fim, a Energisa esclarece, em sua nota, que o ranking em número absoluto não representa a eficiência das empresas, pois aquelas que tem poucos clientes “são comparadas a empresas que atendem milhões de clientes, como é o caso da Energisa. Se considerarmos, portanto, os ajustes citados acima, a posição da empresa no ranking seria substancialmente alterada”.

 

Saiba mais:

Procon Estadual recebe elevado número de reclamações, apesar da pandemia