Procon Estadual orienta consumidor a não se deixar enganar na Black Friday, prevista para o próximo dia 29 de novembro

Com  aproximação de mais uma “mega promoção” realizada por elevado número de estabelecimentos comerciais, principalmente integrantes de grandes redes de lojas, denominada Black Friday, prevista para o dia 29 deste mês, os consumidores  devem se precaver para não serem levados pela ânsia de consumo e terminarem  sendo lesados na aquisição daquilo que possa parecer interessante, sem nem mesmo verificar se os preços estão, realmente, inferiores aos que  eram apresentados anteriormente.

 

Há várias maneiras de não ser engando e cair no que já tornou  bastante conhecido como venda “pela metade do dobro” ou seja,  fornecedores que elevam os preços pouco tempo antes da efetivação da “promoção” para ludibriarem os clientes maquiando descontos que, na realidade não existem. Em anos anteriores houve  denúncias de ocorrências nesse sentido e o consumidor termina pagando mais, entendendo estar sendo beneficiado.

 

Nesse sentido a Superintendência para Orientação e Defesa do Consumidor – Procon/MS, órgão integrante da Secretaria de Estado de  Direitos Humanos, Assistência Social e Trabalho – Sedhast, orienta as pessoas que necessitam adquirir algum produto e  que estão aguardando a promoção, que passem pelas lojas que comercializam o item pretendido e o fotografe, de maneira que possa registrar o preço atual para depois avaliar se, realmente, está conseguindo algum benefício, ou se a loja está realizando o que promete.

 

O superintendente do Procon Estadual, Marcelo Salomão, avalia que “a grande maioria dos estabelecimentos comerciais vai agir com honestidade. Entretanto é sempre bom o consumidor ficar atento para possíveis ações indevidas”. Para ele, a verificação antecipada dos preços daquilo que se pretende comprar “será interessante até como forma de inibir abusos que possam estar sendo programados”.

 

Outro fator que deve chamar a atenção dos consumidores  trata-se das compras virtuais. A orientação do Procon Estadual é que os pretensos compradores fiquem atentos para não caírem em armadilhas. Para isso nunca deixem de se certificar que o site é confiável. Uma das primeiras providências é verificar a existência de um ícone de cadeado em algum lugar da página  inicial.

 

Mesmo que você visualize esse ícone, não deixe de printar a página.  Para sua segurança, o Procon Estadual mantem uma lista de sites não confiáveis à qual você poderá ter acesso a qualquer momento. “Toda a atenção é indispensável para aquisições, seja de qual produto for, de maneira virtual” reafirma Salomão.