Projetos de iluminação em indústrias geram economia na conta de energia; saiba como

A energia elétrica vai ficar mais cara no Brasil em 2021. Segundo previsão feita pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), o reajuste pode chegar a 13%. A razão do aumento é um déficit de 3,17 bilhões de reais gerado em 2020 pela suspensão do uso de bandeiras em maio como medida por conta da pandemia de Covid-19.

 

As bandeiras tarifárias refletem o consumo de energia no país. Quando a situação é favorável, com grande geração e consumo estável, a bandeira permanece verde, ou seja, não há acréscimos na tarifa. Porém, se o custo da geração de energia sobe, essas bandeiras são acionadas e a tarifa aumenta, podendo ser amarela (moderada) ou vermelha (alta).

 

E esse aumento tem um reflexo imediato, não apenas nos consumidores “comuns”, mas também nas indústrias. Por esta razão, é imprescindível buscar soluções que abaixem o consumo energético em um complexo industrial, para que o prejuízo seja minimizado.

 

Uma das formas de otimizar os recursos e reduzir a conta de energia é com a iluminação, que é um dos principais “consumidores” dentro de uma indústria, e um projeto específico de iluminação pode gerar economias e um retorno de investimento em curto prazo.

 

O engenheiro Gustavo Batista, promotor técnico da área de iluminação da Reymaster Materiais Elétricos, afirma que a procura por projetos de iluminação tem aumentado por conta dos altos custos. Segundo ele, o primeiro passo é realizar uma análise e estudo do cenário atual.

 

“Quando realizamos a prospecção para um cliente, analisamos o custo do quilowatt-hora (kWh) pago pela empresa e a utilização mensal e diária do sistema.”

 

Normalmente, os “vilões” do consumo são as lâmpadas de descarga de sódio e metálica. Esses equipamentos, de tecnologia ultrapassada, demandam um maior custo energético e entregam uma eficiência de iluminação muito menor.

 

O engenheiro diz que nesses casos, a melhor opção são as lâmpadas de LED, tecnologia que gera uma economia entre 50% e 70%. Outra vantagem dessa iluminação é a maior vida útil do equipamento, que, pode chegar a ser até 5 vezes maior do que as lâmpadas convencionais.

 

Retorno do investimento é rápido: em torno de um ano, segundo Gustavo Batista, consultor em iluminação da Reymaster.

 

É claro que um projeto de iluminação em LED tem um custo inicial mais alto. Porém, Gustavo Batista ressalta que o retorno financeiro também é rápido. “Após o investimento, esse retorno financeiro acontece entre 12 e 18 meses. Dado o tempo de vida útil, eficiência energética e qualidade de iluminação, esse é um tempo rápido de retorno para uma indústria”, reforça o consultor.

 

Fonte: