Reunião do Brics é a oportunidade de MS mostrar que é a vitrine em sustentabilidade, afirma Jaime Verruck

Mato Grosso do Sul tem a grande oportunidade de mostrar ao mundo, em especial aos novos mercados que se abrem ao Brasil, que pratica uma produção agropecuária consorciada com a floresta e com sustentabilidade, incluindo o turismo, com a realização em Bonito da 9ª reunião anual de ministros de agricultura do Brics – grupo de países integrados pelo Brasil, China, Rússia, Índia e África do Sul. O evento foi aberto ontem (25.09), em Bonito.

 

A avaliação é do secretário estadual Jaime Verruck, da Semagro (secretaria estadual de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar), que participa da reunião internacional representando o governador Reinaldo Azambuja. “Enquanto o Brasil discute novos acordos comerciais, incluindo a China, nosso grande parceiro, o Estado se torna a grande vitrine da sustentabilidade e pode se beneficiar da abertura desses mercados”, disse.

 

Cúpula do Brics reunido em Bonito: encontro segue até amanhã, quando será assinado a Declaração Conjunta

 

Segundo o secretário, o encontro é extremamente benéfico para o Estado, que tem como Bonito como um modelo de gestão em turismo e de sucesso na integração agricultura-pecuária-floresta, que pode se tornar a imagem do Brasil lá fora. “Por isso a importância de se realizar o Brics em Bonito, mostrando ao mundo que produzimos alimentos com sustentabilidade numa região de grandes riquezas em água, solo e biodiversidade”, pontuou.

 

“A realização da reunião do Brics em Bonito mostrará que Mato Grosso do Sul tem um posicionamento quanto à sustentabilidade da produção, que somos líderes na integração agricultura-pecuária-floresta”, completou o secretário, lembrando que dos 11 milhões de hectares consorciados hoje no Brasil, 2,5 milhões estão em Mato Grosso do Sul. “Somos a vitrine do que o Brasil quer mostrar ao mundo quanto a sustentabilidade”, finalizou.

 

Agenda 2030

 

A 9ª reunião do Brics teve início na manhã desta quarta-feira, no Observatório Socioambiental EcoSesi Bonito, distante 6 km do centro da cidade turística, que amanheceu com temperatura de 23 graus, após fortes chuvas na madrugada, e mantém o céu nublado e com garoa durante o dia. O grupo já realizou uma reunião preliminar para discutir a Carta Bonito, que foi assinada ainda ontem, após a plenária 18h30min.

 

Jaime Verruck representou o governador Reinaldo Azambuja no primeiro dia da reunião do Brics, em Bonito

 

Presentes ao evento a ministra de Agricultura, Pecuária e Abastecimento do Brasil, Tereza Cristina Corrêa da Costa Dias; vice-ministro da Índia, Bimbadhan Pradhan;; ministro da África do Sul, Mcebisi Skwatsha; ministro da China, Taolin Zhang;  e ministro da Rússia, Sergey Levin. A programação inclui visitas ao Aquário Natural e Ceita Corê Trilhas e Nascente, pontos turísticos de Bonito. Hoje (26), haverá reuniões bilaterais no período da tarde.

 

A reunião dos ministros do Brics tem como tema a inovação tecnológica na agropecuária no contexto de aumento da população mundial e da demanda por alimentos. O grupo debaterá questões relacionadas à segurança alimentar e sustentabilidade ambiental em âmbito regional e global. O objetivo é fortalecer a cooperação entre os membros do grupo para cumprir as metas da Agenda 2030 para o desenvolvimento sustentável.

 

Cadeia estruturada

 

Ao participar da entrevista da ministra Tereza Cristina, no início da tarde desta quarta-feira, o secretário Jaime Verruck se posicionou com otimismo às negociações que o Brasil mantém com novos mercados consumidores, que vão beneficiar o Estado, citando a carne. “Temos uma cadeia estruturada, com uma série de frigoríficos credenciados com a China, e estamos aguardando credenciamento para exportar a carne inatura para os Estados Unidos”, disse.

 

Secretário da Semagro ao lado dos ministros que integram o grupo do Brics, na chegada da delegação a Bonito

 

Citou que a ministra sinalizou avanços em relação a abertura de mercado para os derivados do leite e adiantou que o Governo do Estado está finalizando as tratativas para implantar o Selo Arte, que beneficia não apenas as exportações, mas os pequenos produtores de queijo de Mato Grosso do Sul. “Até outubro teremos a nossa legislação, propiciando a legalização nas questões sanitárias e a qualidade dos produtos”, antecipou,

 

Verruck também destacou, na fala de Tereza Cristina, o esforço do governo brasileiro em agregar valor aos produtos de exportação – uma das principais pautas em discussão com o mercado -, deixando apena de exportar commodities. Disse que esta política, associada a um programa interno de desenvolvido, tem sido o grande discurso do governador Reinaldo Azambuja com o objetivo de inserir novos produtos no mercado e tornar o Estado mais competitivo.