Dourados: Procon identifica aumento de 1,21% no valor da cesta básica de novembro

 

Procon (Programa Municipal de Proteção e Defesa do Consumidor) realizou pesquisa de preços dos produtos que compõem a cesta básica em 12 (doze) supermercados de Dourados, na quinta-feira (4).

 

Nesta pesquisa, foram coletados preços de 29 (vinte e nove) itens, sendo considerados para levantamento produtos pré-definidos. Em relação à pesquisa do mês de outubro de 2021 houve aumento de 1,21%.

 

Os produtos apresentaram variação significativa de um estabelecimento para outro, onde o alho 200 gramas teve diferença de 450,60%; a erva mate tereré 1 kg com diferença de 229,15%; o extrato de tomate 340 ml apresentou diferença de 224,81% entre o menor e o maior preço. A batata 1 kg teve diferença de 100,33% entre o menor e o maior preço; e o papel higiênico pacote com quatro unidades apresentou diferença de 209,63%.

 

Foram encontrados 14 (quatorze) produtos com diferença superior a 100% (cem por cento) entre os estabelecimentos com menor preço para o maior, como, por exemplos: macarrão, margarina, sabão em pó, água sanitária e o sal.

 

A diferença do estabelecimento com menor preço e o de maior preço nesta pesquisa é de 19,73%.

 

O Procon orienta que o consumidor deve ficar atento às especificações contidas na embalagem: prazo de validade, composição e peso líquido do produto.
Informações no 3411-7754 ou 151

 

Confira a pesquisa:

PESQUISA CESTA BASICA NOVEMBRO 2021 (1)

COP26: Veja balanço da primeira semana e o que esperar das próximas negociações

Em entrevista à Agência de Notícias da Indústria, o sócio-diretor da Agroicone, Rodrigo Lima, que é especialista em negociações internacionais na área ambiental, faz um balanço da primeira semana da 26ª Conferência das Partes sobre Mudanças Climáticas (COP26), que ocorre até 12 de novembro em Glasgow, na Escócia. Ele também traz perspectivas para as negociações na segunda semana da Cúpula do Clima.

 

Segundo Lima, o Brasil tem importantes compromissos como o aumento em sua meta de redução de emissões de 43% para 50% até 2030 e zerar o desmatamento ilegal em 2028. Para a próxima semana, a pauta de financiamento estará fortemente nas mesas de negociações. Confira o vídeo: