Índice do Leite em MS, elaborado pela Semagro, dá ao produtor referência de preços na indústria

Produtores de leite e indústrias de produtos lácteos de Mato Grosso do Sul têm agora têm um importante indicador de preço para nortear as operações do setor no Estado. O Índice do Leite de MS, elaborado pela Semagro (Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar) foi apresentado na Live do Leite, realizada na quinta-feira (10) e na qual foram apresentadas as ações do Governo do Estado em resposta às demandas da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva do Leite.

 

 

“O Índice do Leite atende à demanda de produtores, indústria e demais agentes da cadeia produtiva do leite no Estado. É mais um produto que a Semagro oferece à sociedade e que vai nortear as ações de mercado do setor de leite em Mato Grosso do Sul”, informa o secretário Jaime Verruck, da Semagro.

 

O cálculo do Índice do Leite será feito mensalmente com base nos dados da Sefaz (Secretaria de Fazenda) e publicado no site da Semagro. Na publicação será demonstrada a variação de preços, ou seja, a taxa mensal de inflação da cesta de produtos lácteos sul-mato-grossense, composta pelo Leite Spot, Leite Pasteurizado, Leite UHT e o Queijo Mussarela.

 

“O índice reflete o aumento no nível de preços, a partir da indústria. No mês de maio de 2021, essa variação da cesta de produtos lácteos foi de 13,52% a mais em relação ao mês anterior. O é índice também traz a variação por item da cesta”, comentou o superintendente de Indústria, Comércio e Serviços da Semagro, Bruno Bastos. Esses dados serão publicados mensalmente no site da Semagro e tornam-se noção de referência para o produtor e para a indústria. Veja aqui os dados do Índice referentes ao mês de maio de 2021.

 

Para Milene de Oliveira Nantes, presidente do Silems (Sindicato das Indústrias de Laticínios de Mato Grosso do Sul) e a Lucilha de Almeida, da diretoria da Cooplaf (Cooperativa de Leite da Agricultura Familiar), que participaram da Live do Leite, “o índice é a referência que faltava para o produtor e para a indústria e vai auxiliar na cadeia produtiva do leite em Mato Grosso do Sul”.

 

Dados da Cadeia Produtiva do Leite em MS

 

De acordo com informações da Coordenadoria de Pecuária da Semagro, em Mato Grosso do Sul atualmente existem 61 laticínios em atividade e com capacidade estática de produção de 945 mil litros por dia. Destes, os laticínios com SIF representam 78,9% da captação diária de leite no Estado.

 

A produção de 70% do leite sul-mato-grossense se concentra em 31 municípios, distribuídos em 3 polos produtivos, sendo no Polo 1 (Bandeirantes, Terenos, Campo Grande, Sidrolândia, Nova Alvorada do Sul, Jaraguari, Dois Irmãos do Buriti e Vicentina); no Polo 2 (Nova Andradina, Bataguassu, Anaurilândia, Itaquirai, Iguatemi, Glória de Dourados, Jatei, Novo Horizonte do Sul, Ivinhema, Ponta Porã, Bataiporã, Dourados, Japorã e Deodápolis) e no Polo 3 (Paranaíba, Costa Rica, Camapuã, Aparecida do Taboado, Inocência, Cassilândia, Paraíso das Águas e Chapadão do Sul).

Empresários de MS já podem fazer pré-cadastro de fornecedores da Suzano para o Cerrado

Empresas sul-mato-grossenses, de pequeno médio e grande porte, interessadas em suprir a demanda por bens e serviços que serão necessários para a realização do Projeto Cerrado, investimento de R$ 14,7 bilhões na obra da indústria de celulose da Suzano em Ribas do Rio Pardo, podem fazer pré-cadastro de possíveis fornecedores empreendimento no Portal do Fornecedor (https://portaldofornecedor.suzano.com.br/seja-fornecedor).

 

A medida atende ao compromisso da Suzano firmado com o Governo do Estado, por meio da Semagro (Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar), para que sejam contratados o máximo possível de fornecedores locais para a execução da obra.

 

“O Projeto Cerrado, da Suzano, vem sendo desenvolvido com o apoio do Governo do Estado por meio de uma série de políticas públicas na questão ambiental e na captação de novos investimentos. Um dos compromissos assumidos pela Suzano é a contratação de fornecedores locais, dentro das mesmas condições de competitividade das empresas que não atuam no Estado, mas dando prioridade a fornecedores locais, sejam eles grandes empresas, pequenas, na área de alimentos, construção civil e uma série de outros serviços”, lembra o secretário Jaime Verruck, da Semagro.

 

De acordo com a Suzano, quando as oportunidades surgirem, as empresas pré-cadastradas serão convidadas a participar de processos de concorrência, desde que cumpridos os requisitos técnicos e financeiros necessários. “É importante fazer o pré-cadastro, por isso chamamos a atenção dos pequenos, médios e grandes empresários de Mato Grosso do Sul, que tenham interesse em oferecer produtos ou serviços para a Suzano: façam o cadastro do Projeto Cerrado. Dessa forma, iremos gerar mais empregos no Estado. Importante lembrar que o impacto desse empreendimento no PIB estadual será de 5% no PIB e somente a obra deve gerar 10 mil empregos”, afirma Jaime Verruck.

 

 

Seja fornecedor do Projeto Cerrado

 

Para se candidatar como potencial fornecedor do Projeto Cerrado, é preciso acessar o portal e clicar no botão “Fornecedores”, em seguida em “Seja fornecedor” e realizar um pré-cadastro. Surgindo oportunidades, a empresa será convidada a participar de processos de concorrência, desde que cumpridos os requisitos técnicos e financeiros necessários.

 

“Esta é a porta de entrada para as empresas que buscam ser fornecedoras de bens e serviços do Projeto Cerrado e da Suzano de modo geral. O pré-cadastro pode ser feito por empresas de pequeno, médio ou grande porte que atuam em diferentes áreas”, ressalta Maurício Miranda, gerente Executivo de Engenharia da Suzano.

 

O Projeto Cerrado ainda depende de condições precedentes para ser implantado, como o atendimento aos parâmetros estabelecidos na Política Financeira da companhia e as negociações com os grandes fornecedores. Portanto, assim que tais fornecedores forem definidos, eles também serão responsáveis pelas contratações de bens e serviços relacionados ao empreendimento e, oportunamente, divulgarão os requisitos necessários para as empresas que desejarem participar do projeto.

 

Durante a construção, a nova fábrica da Suzano em Ribas do Rio Pardo deve gerar cerca de 10 mil empregos diretos no pico da obra, além de milhares de empregos indiretos em toda a região. Esse cenário positivo proporcionará aquecimento na economia regional, com a movimentação em diversos setores. “Este é um momento de planejamento para o empresariado e comerciantes de toda a região. O projeto trará uma relevante contribuição na geração de renda e emprego, favorecendo o crescimento econômico do município e demais cidades do estado”, explica Maurício Miranda.

No período de quatro dias, Procon Estadual fiscaliza oito academias e interdita três

Irregularidades constatadas e que geraram  denúncias de consumidores levaram a Superintendência par Orientação e Defesa do Consumidor – Procon/MS, órgão integrante da Secretaria de Estado de Direitos Humanos, Assistência Social e  Trabalho – Sedhast a,  em parceria como o Conselho Estadual de Educação Física –CREF e a Delegacia  Especializada de Repressão Contra os Crimes de Relação de Consumo –Decon/MS, realizar  diligências em oito academias de  educação física, no período de 7 a 10 de junho em curso, o que culminou com a  interdição ou suspensão  do fornecimento de serviços em três delas.

 

Em relação a duas outras academias  a fiscalização  resultou na expedição de autos de infração o que poderá, após avaliação do setor  jurídico do Procon Estadual,  resultar em multas. Já, em três estabelecimentos fiscalizados foram expedidos relatório de visita (quando não ficaram constatadas as irregularidades denunciadas) ou autos de constatação (quando, devido a irrelevância das irregularidades não há necessidade de aplicar multas).

 

As academias interditadas foram Maxi Fit, localizada na rua Conde de Boa Vista no Jardim Santa Emília; Deffinity,  na rua Bartolomeu Mitre,  Jardim Tijuca  e Fael Fit, na rua Esmeraldo Maluf, no Jardim Noroeste. As irregularidades constatadas foram idênticas nos três locais,  sobressaindo-se a ausência de comprovante de registro atualizado no CREF, não ter exposto para verificação o licenciamento sanitário, a falta de  exposição dos nomes e  respectivos números de registro dos profissionais que prestam serviços bem como do responsável técnico.

 

Além disso, os estabelecimentos não possuíam quaisquer formas de advertência aos seus alunos sobre as consequências do uso de esteroides ou anabolizantes, o que é previsto por Lei. Ficou acordado que a suspensão dos trabalhos será por tempo indeterminado até que as  irregularidades sejam sanadas e os responsáveis apresentem comprovantes  tanto no Procon Estadual como no CREF.

 

Em dois locais, Smart Fit (avenida Mato Grosso 1 744- centro) e Morena Esportes (rua João Fernandes Vieira – Vilas Boas),  foram expedidos Autos de Infração. Em ambas as  academias as infrações foram, basicamente, a ausência de exemplar do Código de Defesa do Consumidor e de advertência sobre o uso inadequado  de  esteroides e anabolizantes bem  como de qualquer  modo de informação a respeito dos preços praticados nos locais.

 

Na  Smart Fit, além  de outras infrações,  os responsáveis se recusam a receber, em espécie, priorizando o recebimento a cartões e  boletos, dos valores cobrados dos frequentadores. Entretanto,  fazem restrições a alguns cartões e bancos. Os Autos de Constatação e Relatórios de Visita foram expedidos para as  academias QM Fitness, Sport Center e Start Academia.

 

Foto: Procon  MS

Procon Estadual suspende atendimentos até o dia 24 de junho em obediência a decreto

Em atendimento ao Decreto  Nº 15.693 do governo do Estado, publicado no Diário Oficial de= quinta-feira  11 de junho que institui medida restritiva temporária voltada ao enfrentamento da emergência de saúde pública decorrente  do coronavirus no território de Mato Grosso do Sul e a Instrução Normativa  expedida pela  Secretaria de Estado de Direitos Humanos, Assistência Social e Trabalho – Sedhast, a Superintendência para Orientação e Defesa do Consumidor –Procon/MS terá o atendimento suspenso, em caráter excepcional até o dia 24  do mês de junho.

 

Entretanto, os  consumidores  poderão enviar suas reclamações, pedidos de orientações e denúncias por meio do site  procon.ms.gov.br clicando em “faça aqui sua reclamação” ou em “fale conosco”. Também estarão disponíveis o disque denúncia por meio do número 151 e o watsapp (67) 99158 0088, sendo as demandas analisadas pelos servidores do Procon Estadual para serem tomadas as providências que se fizerem necessárias.

 

Durante esse período, serão prorrogados os prazos para início da contagem ou  do vencimento dos processos até o primeiro dia útil  após o período de suspensão. A Instrução Normativa determina a suspensão, também em caráter excepcional, das audiências de conciliação no âmbito do Procon Estadual, bem como o atendimento presencial na sede do órgão.

Procon Estadual detecta diferença próximo a 340% em preços de material de higiene pessoal

Consumidores que resolverem comparar preços antes da aquisição de  materiais de limpeza poderão economizar até 339,32% na compra de  aparelho de depilação Gilette Prestobarba ultragrip  rosa com duas unidades conforme pode  apurar pesquisa  realizada por equipe da Superintendência para Orientação e Defesa  do Consumidor – Procon/MS, órgão integrante da Secretaria de Estado  de Direitos Humanos, Assistência Social e Trabalho – Sedhast, no período de 12 a 31  de maio findo.

 

O Produto em questão está a venda por R$ 2,49 no supermercado Duarte ( avenida Manoel da Costa Lima 1 610 – bairro Piratininga) e por R$ 10,69 no Supermercado Pires da rua Acaiá 760 – bairro Tarumã). Por outro lado, o item que apresentou menor variação (0,42%) foi o condicionador Seda com  425 ml vendido no  R$ 11,85 no Assaí Atacadista (avenida Duque de Caxias  3.200 – bairro Santo Antônio) e por R$ 11,90  nos atacadistas Atacadão ( avenida Coronel Antonino 3 671)  e  Fort ( rua Valparaiso 761 – bairro Guanandi).

 

Durante a pesquisa foram verificados preços de 367 itens, dos quais são divulgados 254, uma vez que os 113 restantes não foram encontrados em, pelo menos, três entre os 19  estabelecimentos visitados. Do total, 26 apresentaram variação superior a 100% e, entre estes, em dois, a diferença foi superior a 300 por cento.  Foi estabelecido, também, comparativo trimestral de preços  ficando constatado que, dos 226 itens pesquisados, 77 apresentaram decréscimo.

 

Planilhas da pesquisa e do comparativo de preços:

Pesquisa Higiene Pessoal e Limpeza – maio 2021

Comparativo Pesquisa Higiene Pessoal e Limpeza – fevereiro/maio 2021

 

Fonte: Assessoria de Comunicação – Procon/MS

Foto: Procon/MS

Fundação do Trabalho em Campo Grande suspende atendimento presencial

A Fundação do Trabalho de MS (Funtrab) a partir desta sexta-feira (11.06) fecha a agência na Capital e informa que, segue as orientações do Comitê Gestor do Prosseguir (Programa de Saúde e Segurança da Economia) publicou no Diário Oficial do Estado (DOE-MS) de ontem (10.06) a nova classificação do mapa de risco para infecções por Covid-19 nos 79 municípios de Mato Grosso do Sul.

 

Para cumprir o decreto mais rígido de 11 a 24 de junho, os serviços da oferecidos por meio da Funtrab serão efetuados na modalidade home office, por meio dos aplicativos e telefones:

  • MS Contrata+ para Trabalhadores para agendar atendimento a partir do dia 24.06;
  • SINE Fácil (p/candidatos já cadastrados e que estejam dentro do perfil da vaga);

Aplicativo MS Contrata+: (67)3320-1372(Whatsapp)  (segunda a sexta, das 7h30 às 17h30)

Seguro-Desemprego: (67)3320-1408/ 3320-1316 (segunda a sexta, das 8 às 11h/das 13 às 17h)

Empregadores:(67)3320-1414/3320-1341  (segunda a sexta, das 8 às 11h/das 13 às 17h)

 

A deliberação do Prosseguir divulgada hoje ainda traz a nova classificação das atividades e dos serviços, por faixa de risco, considerados essenciais, não essenciais de baixo risco, não essenciais de médio risco, não essenciais de alto risco e não recomendados. Veja aqui o decreto na íntegra.

Riedel destaca a união para competitividade energética na regulamentação do gás

O secretário de Infraestrutura do Governo do Estado, Eduardo Riedel, participa do grupo de trabalho, composto por instituições representativas nas decisões relacionadas à regulação do gás natural em Mato Grosso do Sul.

 

Para Riedel, a regulação do gás garante competitividade e segurança. “É um exemplo do trabalho em prol do desenvolvimento comum, unindo todos os agentes envolvidos, como o setor produtivo representado pela Fiems, pelo Governo do Estado, a agência de regulação, a Companhia de Gás, a Assembleia Legislativa”.

 

Riedel concluiu: “desta maneira é que nós vamos construir e convergir os interesses de buscar para o Estado uma energia barata, o gás disponível para as nossas empresas, dentro das premissas que o grupo colocou à mesa. Para proteger o nosso Estado e o setor produtivo. Dessa maneira construímos algo concreto. Assim vamos encaminhar um projeto de lei moderno, inovador e que traz competitividade”.

 

 

Durante o encontro, a economista, Especialista em Política e Indústria na Gerência de Infraestrutura da CNI (Confederação Nacional da Indústria), Rennaly Patricio Sousa, fez uma apresentação sobre o tema, explicando a lei do Gás. “A CNI trabalhou fortemente em relação ao marco regulatório do gás. Recentemente foi publicado o decreto regulador, de uma lei que tem sido discutida há mais de 10 anos”.

 

A especialista defende uma legislação detalhada.”A nova lei traz regras claras, segurança jurídica aos investidores, proibição de novo monopólio e integração de mercados”. Ela explicou como funciona a cadeia produtiva do gás, do escoamento e processamento ao mercado.

 

Para o presidente da Fiems, Sérgio Longen, que preside o grupo, a reunião oportuniza a defesa pelos interesses de todos. “O início do processo foi o Governo Federal, junto do Congresso Federal, permitir que os estados pudessem avançar no uso e na compra do gás natural, no mercado livre. Este grupo vai buscar com seus parceiros termos condições claras de que o gás é ferramenta de desenvolvimento, permitindo que as empresas possam comprar gás natural a preços competitivos, com uma legislação moderna para atrair investidores”.

 

O titular da Semagro (Meio Ambiente, Produção e Agricultura Familiar), Jaime Verruck, durante o encontro enfatizou que é preciso um olhar estratégico. “A visão do impacto da política de desenvolvimento, até porque o tributo é do importador. A relevância do gasoduto, diante de tudo isso, é excepcional e vale lembrar disso na nova política do gás em Mato Grosso do Sul”.

 

O diretor-presidente da Agepan (Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos de Mato Grosso do Sul, Carlos Alberto de Assis, salientou a necessidade dessa energia. “O papel da Agepan é buscar o equilíbrio de quem produz e quem consome. Mato Grosso do Sul pode sair na frente. Estamos à disposição e nós queremos ajuda”.

 

Compõem o grupo: representantes da FIEMS, ALMS, Seinfra, Semagro, Agepan, CNI, MS Gás e Receita Estadual. “Com a eventual abertura de mercado vamos dar competitividade ao gás natural, impulsionar a indústria e gerar receitas que vão financiar políticas públicas estaduais”, afirmou o deputado estadual, presidente da ALMS, Paulo Corrêa.

 

A primeira reunião foi realizada, nesta terça-feira (08), na sede da Fiems (Federação das Indústrias de MS).

Demanda por crédito do FCO se mantém aquecida com destaque para o setor rural

Em cinco meses de 2021, Mato Grosso do Sul contratou R$ 443 milhões na área rural e R$ 112 milhões na área empresarial em recursos do FCO (Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste). As cartas-consultas aprovadas na reunião do CEIF-FCO (Conselho de Investimentos Financiáveis pelo FCO) de quarta-feira (10), mostram que a demanda por crédito continua bastante aquecida no Estado.

 

Presidente do CEIF e titular da Semagro (Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar), o secretário Jaime Verruck explica que setores como irrigação, suinocultura, maquinas e equipamentos, seguem com demanda aquecida por crédito.

 

“Continuamos sentindo que a demanda tem crescido principalmente na área rural, na questão de máquina e equipamentos que continuam com os financiamentos. Também estamos recebendo muitos projetos de irrigação o que mostra que nossa estratégia do Plano Estadual de Irrigação, tem dado certo e avançado. Obviamente, temos sempre o cuidado com a questão da outorga de água e do fornecimento de energia elétrica”, explica.

 

Na reunião desta semana, foram analisadas seis cartas-consulta de pivô central, que totalizam R$ 15 milhões de investimentos. Na suinocultura, foram aprovados mais de R$ 10 milhões de financiamento, o que mostra que o empresário continua fazendo seus investimentos de longo prazo.

 

No setor empresarial foi aprovado o financiamento de uma indústria instalada no município de Itaquiraí, que recebeu doação de área por parte do município e incentivos fiscais concedidos através do termo de acordo do Governo Estadual. Com a aprovação da carta consulta, serão investidos mais R$ 11 milhões no município, gerando 85 empregos na área de artigos de festas e presentes.

 

Prorrogação das parcelas do FCO

 

Em 29 de abril o CMN (Conselho Monetário Nacional) publicou a a Resolução CMN n° 4.908, que autoriza a prorrogação, até 31 de dezembro de 2021, de parcelas dos financiamentos realizados com recursos do FCO.

 

“No setor rural, o banco já está recepcionando aquelas atividades que foram impactadas pela questão da Covid. A análise é caso a caso e na questão específica do Empresarial, até o final do mês de julho, o banco nos comunica que terá o sistema rodando.  Importante lembrar que a prorrogação é retroativa ao mês de janeiro”, explica.

BRF anuncia em videoconferência R$ 121 mi de investimentos em Mato Grosso do Sul

A BRF, uma das maiores companhias de alimentos do mundo, anunciou ontem (8) investimentos de R$ 121 milhões em sua operação na cidade de Dourados, em Mato Grosso do Sul. O montante será utilizado na modernização e ampliação de sua planta local, que tem cerca de dois mil funcionários e 100 produtores integrados.

 

O anúncio do investimento foi feito pelo CEO da BRF, Lorival Luz, e pela vice-presidente global de Relações Institucionais e Sustentabilidade da companhia, Grazielle Parenti, em videoconferência com o governador Reinaldo Azambuja e o secretário de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar, Jaime Verruck.

 

“Com este aporte conseguiremos ampliar e modernizar uma unidade que atende tanto o mercado nacional quanto importantes países para os quais exportamos, entre eles a China, com o qual temos uma ótima relação”, afirmou Lorival Luz.

 

Para o secretário Jaime Verruck, a política de atração de investimentos do Governo de Mato Grosso do Sul tem posicionado o Estado como uma potência agroambiental e agroindustrial. “O investimento da BRF fortalece essa linha. Vamos continuar agregando valor às nossas matérias primas, como farelo de soja e milho, transformando-as em proteína vegetal para exportação e novos mercados”, destacou.

 

Videoconferência foi realizada na Governadoria

 

Desenvolvimento sustentável

 

Na videoconferência, o governador Reinaldo Azambuja e o CEO da BRF, Lorival Luz, trataram da sustentabilidade como pauta dos estados e do setor produtivo, principalmente a agroindústria.

 

“É fundamental termos um alinhamento em pautas que são importantes para o Brasil. Estamos construindo uma pauta de sustentabilidade. Queremos ser um estado carbono zero até 2030. Temos ações no pantanal com painéis solares, entre tantas outras iniciativas incluindo a geração de energia renovável em granjas e aviários”, salientou Reinaldo Azambuja.

 

“O investimento da BRF é mais um projeto captado dentro de uma ideia do desenvolvimento sustentável, com agregação de valor, para que a gente possa continuar dentro do ritmo de exportação”, completou Jaime Verruck.