Modernização e relicitação: Semagro realiza 1ª reunião do Grupo de Trabalho Ferrovias MS

A Semagro (Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar) realizou na quinta-feira (27) a primeira reunião do Grupo de Trabalho Ferrovias MS (GT Ferrovias MS), grupo técnico coordenado pelo secretário Jaime Verruck, da Semagro, responsável por acompanhar a implantação, relicitação e modernização dos serviços de transporte ferroviário em Mato Grosso do Sul.

 

Neste primeiro encontro foram apresentadas as potencialidades da Nova Ferroeste, projeto privado para construção de uma nova malha ferroviária que vai passar por 8 municípios de Mato Grosso do Sul, partindo de Maracaju, passando por Itaporã, Dourados, Caarapó, Amambai, Iguatemi, Eldorado e Mundo Novo até entrar no Paraná com destino a Cascavel e, em seguida, o Porto de Paranaguá. A apresentação foi feita pelo coordenador do Grupo de Trabalho Ferroviário do Estado do Paraná, Luiz Henrique Fagundes.

 

 

O Gerente de Relações Institucionais e Governamentais da Rumo, Rodrigo Verardino De Stéfani, falou sobre “A Malha Norte no Estado do Mato Grosso do Sul”, ferrovia já em operação e que serve importante região produtora de grãos e celulose do Estado. Foram apresentadas informações sobre o perfil de carga da ferrovia, principais movimentações e volumes.

 

“Esse GT Ferrovias MS foi criado dada a importância desse modal logístico para o Estado. Nos foi apresentado os principais volumes de carga e pudemos observar, nesse momento, um destaque especial pra região de Chapadão do Sul, com a Rumo e a região de Maracaju, que vai receber esse importante investimento da Nova Ferroeste. Também expusemos situação atual da Malha Oeste e o empenho do ministro Tarcísio (Infraestrutura) em viabilizar a relicitação”, comentou o secretário Jaime Verruck.

 

Para o próximo encontro, a Semagro irá apresentar proposta de projeto de lei para um Marco Regulatório de Ferrovias no Estado, que deverá ser apresentado na Assembleia Legislativa por meio dos deputados estaduais Renato Câmara e Barbosinha. A ideia, de acordo com o titular da Semagro, é criar um instrumento que permita ao setor privado fazer uma avaliação de impacto das ferrovias, sejam elas quais forem, e possa fazer uma conexão com essa ferrovia, com a devida autorização do concessionário

 

 

“Se qualquer empresa quiser constituir um terminal e se conectar à Nova Ferroeste ou qualquer outra ferrovia, a lei vai permitir. Isso cria uma possibilidade de investimentos em terminais e outros ramais em Mato Grosso do Sul, agregando valor não só para a Nova Ferroeste, como também para as Malhas Norte e Oeste”, finaliza Jaime Verruck.

 

O GT Ferrovias MS é composto por 12 integrantes, sob coordenação da Semagro. Terá também representantes da Secretaria de Estado de Infraestrutura (SEINFRA); do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT); da Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso do Sul; três da Associação dos Municípios de Mato Grosso do Sul (ASSOMASUL), sendo um de municípios da área de influência da Malha Norte, um de municípios da área de influência da Malha Oestee um de municípios da área de influência da Ferroeste; um do Sindicato de Trabalhadores em Empresas Ferroviárias de Bauru, Mato Grosso do Sul; um da Federação das Indústrias do Estado de Mato Grosso do Sul (FIEMS); um da Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul (FAMASUL); um do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI); e um da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT).