SENAI, MPT e Sejusp levam aprendizagem industrial às Uneis de Dourados e Ponta Porã

O SENAI, em parceria com o MPT-MS (Ministério Público do Trabalho) e a Sejusp (Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública), ampliou o projeto de levar educação profissional às Uneis (Unidades Educacionais de Internação). Depois de iniciar as aulas do curso de almoxarife de obras no começo deste mês com 11 internos da Unei Dom Bosco, em Campo Grande, agora foi a vez de começarem as aulas do curso de almoxarife com 15 internos de Dourados e dez de Ponta Porã.

 

Na sexta-feira (25), representantes das três instituições visitaram as Unei Laranja Doce, em Dourados, e a Unei Mitaí, em Ponta Porã, para destacar a oportunidade de os jovens selecionados aprenderem um ofício. O objetivo é garantir que os jovens tenham mais chances de conseguir uma vaga no mercado de trabalho quando forem ressocializados.

 

Contrato especial garante direitos trabalhistas aos adolescentes

 

Por meio do contrato de trabalho especial da aprendizagem industrial, esses jovens têm direito a registro em carteira de trabalho, recebimento de salário mínimo hora, férias e 13.º salário proporcional. Também estão garantidos outros direitos sociais, como descanso semanal remunerado, recolhimentos previdenciários e do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço). Os valores ficam depositados em uma conta judicial e são resgatados após a saída da unidade de internação.

 

Segundo o diretor-regional do SENAI, Rodolpho Caesar Mangialargo, o curso terá 800 horas e duração de três meses, aproximadamente. As aulas serão realizadas de segunda à sexta-feira, das 13 horas às 17 horas. “Nós tivemos de remodelar o curso para que os internos pudessem ter aulas teóricas práticas dentro da Unei. Para isso, vamos montar uma indústria aqui dentro para simular as práticas”.

 

Índice de aceitação dos cursos do SENAI ajuda a abrir as portas do mercado de trabalho

 

Ainda conforme Rodolpho Mangialardo, o projeto é uma forma de dar oportunidade a esses jovens, para que saiam da unidade de internação com oportunidades reais de serem inseridos no mercado de trabalho. “O SENAI tem um índice de aceitação no mercado muito grande e, com certeza, essa formação deverá abrir portas para esses jovens. Vale ressaltar que essa parceria foi construída entre SENAI, MPT e Sejusp por orientação do presidente da FIEMS, Sérgio Longen, e o objetivo é preparar esses jovens e proporcionar melhores oportunidades”.

 

A procuradora-chefe do MPT, Cândice Gabriela Arósio, ressaltou que o projeto de levar educação profissional a adolescentes internados começou em 2016 e tem como objetivo a real ressocialização desses jovens. “Eu estou muito feliz de voltar a essa Unidade de Internação para trazer novamente uma formação e uma oportunidade para esses jovens. Eles estão aqui aprendendo um ofício para conseguir entrar no mercado de trabalho quando saírem. E nós temos também o objetivo de continuar com esse acompanhamento quando eles forem egressos para dar todo o suporte necessário”.

 

Expectativas de nova chance envolvem adolescentes em curso oferecido pelo SENAI

 

Para o diretor da Unei Laranja Doce, José Marcondes, o início de mais uma turma de aprendizagem industrial dentro da unidade é motivo de alegria e satisfação. “Essa é uma oportunidade de ressocializar os adolescentes. Eles estão ansiosos e interessados no curso e esperamos colher frutos, fazendo nosso papel, que é ressocializar esses jovens. Sabemos que o SENAI é referência em qualificação profissional e vai proporcionar chances de novas portas se abrirem para esses jovens”.

 

Na avaliação de um dos internos, de 20 anos, e que está há um ano na Unei Laranja Doce, a expectativa é de conseguir um novo emprego. “Eu já fiz um curso de aprendizagem pelo SENAI quando tinha 15 anos. Agora vou fazer mais uma formação pelo SENAI e espero que esse certificado me ajude a conseguir uma vaga no mercado de trabalho quando eu sair daqui. Depois, ainda quero fazer uma faculdade e acho que essa é uma grande oportunidade”.