Empresários de Campo Grande que instalaram placas fotovoltaicas criticam proposta da Aneel de taxar energia solar

21Empresários de Campo Grande (MS) que investiram na instalação de placas fotovoltaicas para a produção de energia limpa e, dessa forma, reduzir a conta de luz criticam a proposta da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) de alterar as regras e passar a cobrar pela energia solar que o consumidor gera. Para eles, a medida trará prejuízos para quem já instalou sistemas fotovoltaicos, além de desestimular novos investimentos em energia limpa.

 

Esse é o caso do empresário Abdo Magid João Neves, da Polpa Norte, que investiu R$ 135 mil em março de 2018 para instalar 90 placas fotovoltaicas em sua empresa. “Foi tudo com recursos próprios e realmente valeu a pena porque minha conta caiu de R$ 3.500,00 para R$ 140,00, uma redução de 90,67%. Porém, essa notícia de aumentar a cobrança para quem gera sua própria energia deixa a gente revoltado porque foi um investimento alto e agora ainda terei de pagar a mais porque as concessionárias hoje estão lucrando menos”, afirmou.

 

Na mesma linha, o empresário Carlos Targino, da empresa de materiais hospitalares Suprimed, viu o valor da conta de luz cair de R$ 2 mil para aproximadamente R$ 200,00, uma redução de 90%, depois de instalar um conjunto de placas fotovoltaicas por meio do Senai Empresa. “Investi um total de R$ 72 mil, financiado pelo Banco do Brasil, por meio do FCO (Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste), e estou realmente chateado com a possibilidade de novos encargos”, disse.

 

Segundo Carlos Targino, antes de decidir instalar as placas fotovoltaicas, foi preciso fazer uma análise da viabilidade econômica. “A gente simulou quanto seria o financiamento e em quanto tempo terminaríamos de pagar esse investimento todo, tudo na ponta do lápis. Uma notícia como essa da Aneel nos preocupa, porque esses cálculos deverão ser refeitos agora e o tempo de pagamento desse investimento deverá aumentar, causando prejuízo para mim e para todos que fizeram esse investimento também”, finalizou.

 

Também em busca de economia, o empresário Gustavo Diniz, da Academia Aquativa, realizou um investimento de mais de R$ 50 mil, tudo para reduzir a conta de R$ 1.400,00 para R$ 130,00. “Foi uma redução de 91% e fez toda a diferença no meu orçamento. Agora descubro que vou ter de pagar a mais por esse investimento e acho isso revoltante. Em um primeiro momento, nós empresários somos motivados a investir em novas fontes de energia, que, além de reduzir custos, melhoram o meio ambiente. Agora, depois que vários fizeram um investimento alto e começam a sentir no bolso a diferença, querem mudar as regras. Daqui a pouco vão cobrar sobre incidência solar”, finalizou.