Julho terá novamente energia mais cara, com a permanência da bandeira vermelha patamar II

Julho terá  novamente energia mais cara, com a permanência da chamada bandeira tarifária vermelha patamar II. A presidente do Concen  (Conselho de Consumidores da Área de Concessão da Energisa-MS),  Rosimeire Costa, alerta “O consumidor precisa ficar atento para que não tenha uma surpresa na fatura que vai chegar em agosto”.

Ela explica que, além das chuvas no período úmido, até março, terem ficado abaixo da média, o impacto da alta sequencial do dólar também surtiu impacto no custo da energia.

“A gente entende que é preferível arcar com a bandeira agora, dando o sinal ao consumidor de que deve usar racionalmente, do que na metodologia passada quando acumulada e pagava no reajuste corrigido pela Selic.

Em nota, a Aneel informa: A bandeira tarifária para o mês de julho será vermelha (patamar 2) com custo de R$ 5 a cada 100 kWh (quilowatts-hora) consumidos. A repetição da bandeira do mês de junho deve-se à manutenção das condições hidrológicas desfavoráveis e à tendência de redução no nível de armazenamento dos principais reservatórios do Sistema Interligado Nacional (SIN). Como consequência houve aumento do preço da energia elétrica no mercado de curto prazo (PLD), redução da geração hidrelétrica e aumento do risco hidrológico (GSF). O GSF e o PLD são as duas variáveis que determinam a cor da bandeira a ser acionada.

Veja as dicas de economia da Aneel :  https://goo.gl/ts3ysQ