Longen entrega a Riedel e Paulo Corrêa pedidos de empresários de bares, restaurantes e eventos

O presidente da Fiems, Sérgio Longen, entregou ao secretário de Infraestrutura, Eduardo Riedel, e ao presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul, a primeira série de demandas do movimento MS em Frente. O documento, relativo a Campo Grande, foi sistematizado na FIEMS, que integra o movimento cujo objetivo é viabilizar a recuperação da economia sul-mato-grossense diante da pandemia da Covid-19.

 

Sérgio Longen detalhou a Riedel e Paulo Corrêa as reivindicações relativas aos setores de bares, restaurantes, eventos e, ainda, ao segmento de artistas. De acordo com o presidente da FIEMS, as propostas apresentadas pelos representantes dos segmentos estão relacionadas ao acesso ao crédito, tributos e horário de funcionamento. “Vamos encontrar uma forma de garantir a retomada do crescimento levando em consideração a necessidade de mantermos todas as medidas de biossegurança, porque não podemos falar de economia sem garantir a saúde de todos”.

 

Longen destacou, ainda, que as reivindicações serão levadas às prefeituras e às subsidiárias de água, energia e gás. As duas reuniões relativas a Campo Grande ocorreram na Casa da Indústria, sede da FIEMS, e estão programadas, ainda, encontros para Bonito, Corumbá, Dourados e Três Lagoas. “Essa é uma oportunidade dos representantes desses setores do nosso Estado apresentarem propostas para os problemas que precisaram enfrentar no decorrer de todo esse tempo em que estamos vivendo essa grave pandemia”.

 

O movimento Em Frente MS é composto pela Fiems, representada pelo presidente Sérgio Longen, e pelos secretários Eduardo Riedel, da pasta de Infraestrutura do Governo de Mato Grosso do Sul, e Jaime Verruck, da Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar. Também integram o movimento o superintendente do Sebrae, Cláudio Mendonça; e os presidentes da Faems, Alfredo Zamlutti; da Abrasel, Juliano Werhimer; e da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul, Paulo Corrêa.